No Brasil, mais de 330 mil crianças vêm ao mundo prematuras ou abaixo do peso ideal (2,5 kg)

O aleitamento materno é a estratégia mais efetiva de combate à morbimortalidade infantil.  A doação de leite humano é destinada para bebês prematuros internados de baixo peso (menos de 2,5 kg) e com patologias, principalmente do trato gastrointestinal, e que não podem ser alimentados diretamente pelas próprias mães. As evidências científicas indicam que bebês prematuros e/ou com patologias que se alimentam de leite humano no período de privação da amamentação possuem mais chances de recuperação e de terem uma vida mais saudável. Com o leite materno, o bebê prematuro ganha peso mais rápido, se desenvolve com mais saúde e fica protegido de infecções.

‘’Estudos indicam que o leite humano é capaz de reduzir em até 13% as mortes evitáveis de crianças até os 5 anos de vida, visto que a sua composição atende todas as necessidades dos seres humanos nesta fase da vida. O leite humano é um alimento que contém equilíbrio de gorduras, carboidratos e proteínas na medida exata para prover o crescimento e a imunidade dos bebês, além de combater as infecções infantis, desenvolver o cérebro e aumentar a resistência a doenças crônicas, tais como asma, alergias e diabetes. Existem evidências de que a substância até pode aumentar a inteligência e reduzir as chances do desenvolvimento de cânceres na mãe e no bebê, além de contribuir para o fortalecimento do vínculo entre os dois’’, é o que explica a nutricionista Franciele Boaria, responsável pelo Banco de Leite Humano no hospital São Vicente de Paulo, em Guarapuava.

Para as mulheres que desejam ser doadoras, precisa-se preencher alguns pré-requisitos. Elas necessariamente devem ser saudáveis, não usar medicamentos que impeçam a doação e estar com a carteira do pré-natal em dia. Alguns procedimentos devem ser tomados no momento da extração, como por exemplo, o leite deve ser retirado depois que o bebê mamar ou quando as mamas estiverem muito cheias. Ao retirar o leite, é importante que siga algumas recomendações que fazem parte da garantia de qualidade do leite humano distribuído aos bebês hospitalizados:

  • Escolha um lugar limpo, tranquilo e longe de animais;
  • Prenda e cubra os cabelos com uma touca ou lenço;
  • Evite conversar durante a retirada do leite ou utilize uma máscara ou fralda cobrindo o nariz e a boca;
  • Lave as mãos e antebraços com água e sabão e seque em uma toalha limpa;
  • Massageie as mamas com as mãos espalmadas começando na aréola (parte escura da mama) e, de forma circular, abrangendo toda mama. O leite pode ser retirado de forma manual ou esgotadeira elétrica;
  • Despreze as primeiras gotas antes de iniciar a coleta no frasco;
  • O frasco com o leite retirado deve ser armazenado no congelador ou freezer. Na próxima vez que for retirar o leite, utilize outro recipiente esterilizado e, ao terminar, acrescente este leite no frasco que está no freezer ou congelador, mas não encha o frasco até a borda. Procure deixar um espaço de dois dedos abaixo da tampa. O leite congelado pode ficar armazenado no domicílio por até 10 dias.

Os bancos de leite humano têm entre seus objetivos a promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno. Neste sentido, desenvolvem trabalho para auxiliar as mulheres-mães no período da amamentação, tendo profissionais qualificados para também orientar sobre a saúde da criança. ‘’Aqui em Guarapuava, o Banco de leite está com estoque baixo. Estamos conseguindo atender toda a demanda, porém, não sabemos até quando, com o inverno se aproximando a quantidade de leite coletado diminui e até mesmo algumas mães deixam de doar. Utilizamos em média 60 litros de leite, então, precisamos coletar até 100 Litros para ficar com estoque e assim conseguir atender a todos os recém-nascidos internados na UTI NEONATAL. Todo leite coletado nos bancos passa por um rigoroso controle de qualidade, antes de ser distribuído, e é fornecido de acordo com as necessidades de cada criança’’, finaliza Franciele.

No Brasil, nascem aproximadamente três milhões de bebês por ano, sendo que aproximadamente 330 mil são prematuros ou vêm ao mundo com baixo peso (menor de 2,5kg), segundo dados do Ministério da Saúde. O país também possui a maior e mais complexa rede de banco de leite do mundo. Atualmente existem 219 no país, em todos os estados e no Distrito Federal, e 196 Postos de Coleta, além da coleta domiciliar. O modelo brasileiro é focado na promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade e continuidade da amamentação por dois anos ou mais. Além de coletar e distribuir leite materno de qualidade a bebês prematuros, isso beneficia a diminuição da mortalidade infantil.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome