Fatores como estresse, baixa imunidade, traumas locais, fadiga e períodos de alterações hormonais estão relacionados com o aparecimento de herpes. O herpes é uma doença comum onde o contato com a secreção contaminada leva ao contágio. “As infecções herpéticas podem se manifestar em três formas: gengivoestomatite herpética primária (em crianças), herpes simples e herpes zoster”, diz o cirurgião dentista, Romeu Rocha.

O herpes simples é uma doença viral recorrente e a lesão, segundo o profissional, tem início por prurido (coceira), formigamento e leve vermelhidão. Em seguida, a lesão se torna vesiculada com dor e edema no local.

Na região labial, o herpes pode permanecer por até 15 dias causando desconforto ao paciente. “O tratamento convencional de herpes inclui a utilização de antiinflamatórios, analgésicos e antivirais, sendo de pouca efetividade”, acredita Rocha.

 

Novo Método

Uma técnica diferenciada para o tratamento do herpes corresponde a utilização dos lasers de alta e baixa intensidades. Estudos mostram que o tratamento do herpes com laser pode reduzir o período da manifestação da doença, aliviar dores e aumentar o intervalo que o vírus causador da doença volta a afetar a pessoa.

Conforme o cirurgião dentista, o tratamento a laser proporciona efeitos analgésicos, antiinflamatórios e biomodulares (bioestimulação e inibição celular). “Usar esse método na primeira fase da doença é a melhor opção, pois trata o aparecimento das lesões e com isso inibe o herpes”, afirma. Contudo, o cirurgião dentista considera que o laser não tem ação anti-viral ou fortaleça a célula hospedeira, mas melhora a resposta imune local combatendo com mais eficiência a infecção do vírus.

Na fase de vesículas, o laser pode acelerar o processo de recuperação. “Neste período, a doença pode ser tratada de duas formas com o laser de alta potência ou com laser de baixa potência”, explica Rocha.

Com as sessões de laser, além de reduzir os sintomas e agilizar na reparação da lesão, a cicatrização, segundo o profissional, ocorrerá mais rápida, em aproximadamente metade do tempo de uma reparação normal, melhorando também a auto-estima do paciente que socialmente sente-se constrangido pela presença de feridas nos lábios. O tratamento a laser não tem contra-indicação.

 

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome