Botox contra bruxismo

 Toxina botulínica surge como técnica eficaz no auxílio de vários tratamentos odontológicos, como para enxaqueca e bruxismo.

Nova alternativa na odontologia contribui para corrigir ou melhorar desordens, como apertamentos dentários, bruxismo, enxaquecas de origem musculares, sorrisos gengivais, assimetrias faciais, entre outras indicações. Esta alternativa utiliza a toxina botulínica, comercialmente conhecida como Botox, produzida pela bactéria Clostridium botulinum. “A toxina botulínica age nas sinapses neuromusculares (conexões entre nervos e músculos) promovendo uma diminuição do tônus muscular, ou seja, ela promove um relaxamento muscular”, explica o cirurgião-dentista habilitado em aplicação terapêutica de toxina botulínica, Dr. Diego R. dos Santos.

A toxina botulínica, conhecida popularmente como botox, com uso bem difundido na medicina estética pela redução das linhas de expressão facial, as famosas rugas, agora, após pesquisas científicas e estudos de caso, é reconhecida como uma técnica eficaz e com vários benefícios na área odontológica.

Esta terapia, segundo o cirurgião-dentista, normalmente está associada a outros tratamentos odontológicos convencionais, como ortodontia, próteses, periodontia e implantes. Na implantodontia, a toxina botulínica ajuda a aliviar a força muscular e melhora o prognóstico dos implantes com carga imediata. Na periodontia, esta nova alternativa pode substituir cirurgias mais invasivas e traumáticas para corrigir o sorriso gengival, por exemplo.

Para quem sofre com o bruxismo, e muitas vezes ao acordar sente dor próximo ao ouvido, a toxina surge como uma excelente alternativa. “Bruxismo é o nome da desordem onde o paciente aperta os dentes e os range, provocando ruídos desagradáveis durante o sono. Ele provoca sérios desgastes nas estruturas dentais, pois através da atividade exacerbada dos músculos mastigatórios (da face) os dentes ao rangerem sofrem desgastes e se tornam mais ‘curtos’, trazendo prejuízos estéticos e funcionais”, observa Dr. Diego.

O tratamento convencional para o bruxismo, de acordo com o profissional, é o uso de placas miorelaxantes (placas semelhantes as que os lutadores usam) durante a noite associado à correção da oclusão do paciente através de movimentações ortodônticas (aparelhos dentários). No entanto, estas placas, muitas vezes, provocam um desconforto ao paciente. Como uma nova alternativa surge a toxina botulínica para substituir o uso da placa.

Com a aplicação desta, o paciente não precisará mais usar a placa removível e poderá dormir mais confortavelmente. “A toxina atua nos músculos mastigatórios, diminuindo o seu tônus (força) e assim promove uma proteção aos dentes contra o desgaste gerado pelo bruxismo. Além disso, outro diferencial da toxina é que ela atua durante todo o dia e não apenas durante a noite, como a placa miorelaxante”, afirma o cirurgião-dentista.

 

Toxina Botulínica no tratamento de bruxismo

A toxina botulínica é um tratamento novo e eficaz para o bruxismo. Com a utilização da toxina o paciente pode minimizar e até curar os sintomas do bruxismo em pouco tempo. Segundo Dr. Diego, a técnica consiste na aplicação da toxina botulínica em determinados músculos mastigatórios, principalmente o masseter (localizado próximo à bochecha), que possui papel importante na mastigação.

O período para reaplicação da toxina botulínica é variável de caso a caso. “Em casos mais severos, onde a ação muscular é maior, ela terá uma durabilidade menor. Porém, se tentarmos definir uma média para reaplicar a toxina, podemos considerar o intervalo de aproximadamente4 a7 meses”, diz o cirurgião-dentista.

Toxina Botulínica para bruxismo e enxaquecas tensionais

Técnica também é indicada para dores de cabeça

             Existem inúmeras causas que podem ocasionar enxaquecas. Conforme o profissional habilitado em aplicação terapêutica de toxina botulínica, a técnica é uma alternativa de tratamento às enxaquecas de origem musculares, apenas. “Essas são provocadas por uma ação exacerbada de alguns músculos, principalmente pelo temporal (localizado ao lado do crânio) e masseter, que são músculos com forte tônus. A ação da toxina botulínica diminui a tonicidade destes músculos, gerando assim um relaxamento maior e, desta maneira, promove um alívio nas dores da enxaqueca tensional”, explica.

Para enxaquecas de origem não musculares, a técnica não é indicada. “Isto porque ela não atuará na causa do problema. Por isso é imprescindível a avaliação do paciente por um profissional habilitado, somente esse terá conhecimento para indicar ou não o tratamento com toxina botulínica”, ressalta Dr. Diego.

O uso da toxina botulínica é contra-indicado para gestantes, lactantes e portadores de doenças que afetam os músculos, como a esclerose lateral amiotrófica.

O período de reaplicação da toxina botulínica para enxaqueca, segundo o cirurgião-dentista, varia conforme o caso e obedece, em média, os mesmos períodos citados para o tratamento de bruxismo.

 

 Na odontologia, a toxina botulínica pode ser aplicada, principalmente, para os seguintes casos:

– Apertamentos dentários;

– Bruxismo;

– Disfunções têmporo-mandibulares;

– Dores de cabeça de origem musculares;

– Sorriso gengival;

– Assimetria facial;

– Controle de fluxo salivar (sialorréia).

 

 

CONFIRA ESTA E OUTRAS MATÉRIAS INTERESSANTES NA PRÓXIMA EDIÇÃO DA REVISTA MAIS SAÚDE!

 

E AINDA CONFIRA UMA SUPERPROMOÇÃO PARA ASSINANTES….AGUARDE!

 

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome