A Disfunção da ATM (Articulação Temporomandibular) é o funcionamento anormal da articulação temporomandibular, ligamentos, músculos da mastigação, ossos maxilar e mandibular, dentes e estruturas de suporte dentário. São alterações funcionais que comprometem a função mastigatória, a deglutição e a fala.

Pode manifestar-se através de um simples estalo articular e desconforto moderado na frente dos ouvidos a um completo bloqueio da mandíbula e dor severa.

A disfunção da ATM está relacionada a hábitos comuns, como o apertamento dentário e o bruxismo (ranger os dentes), morder objetos estranhos, roer unhas, mastigar chicletes, postura da cabeça (para a frente), ou ainda apresentar fatores relacionados com o estresse, depressão e ansiedade ou eventos traumáticos. O paciente apresenta sintomas como dor de cabeça, dor de ouvido e/ou zumbidos, dor ou cansaço dos músculos da mastigação, ruídos articulares (estalos ou crepitação) e dificuldade para abrir a boca.

A oclusão dentária representa papel importante como fator predisponente que altera o sistema mastigatório, incrementando os riscos para desenvolver disfunção de ATM. Os hábitos parafuncionais, como o bruxismo, e má-oclusão dentária induzem micro-traumas na ATM, desenvolvendo-se assim lesões degenerativas no côndilo e no disco articular.

O diagnóstico de DTM (Disfunção Temporomandibular) está baseado em vários sintomas, testando a amplitude dos movimentos mandibulares, escutando os ruídos articulares, examinando o engrenamento dos dentes, apalpando as articulações como também os músculos da face e cabeça. Os recursos de imagens são muito úteis para se estabelecer um diagnóstico ou descartar qualquer outro processo patológico. Radiografias panorâmicas e a ressonância magnética são os exames complementares mais utilizados que auxiliam no diagnóstico da DTM.

Para o tratamento dos sintomas e dos problemas de dor, causados pela disfunção da ATM, é recomendado, como tratamento inicial, a colocação de um aparelho móvel, feito de material rígido (placa miorrelaxante), além de tratamento com fisioterapeuta e medicamentos, visando aliviar rapidamente a dor e relaxar a musculatura facial. A placa miorrelaxante, visa localizar a posição de equilíbrio dos dentes, músculos, ligamentos e articulações mandibulares (chamada de posição de conforto), promovendo a redução das dores e sintomas do paciente, melhorando assim, a sua qualidade de vida.

A DTM necessita de uma abordagem criteriosa nos fatores psicológicos, neurológicos, musculares e sociais, sendo necessária à atuação de uma equipe multidisciplinar envolvendo o cirurgião dentista, fisioterapeuta, fonoaudiólogo e psicólogo, dando a importância devida aos diversos espectro de apresentação deste tipo de patologia, que infelizmente se apresenta cada vez mais próximo do dia a dia das pessoas, tratando não só os sinais e sintomas, mas principalmente as eventuais causas, avaliando o indivíduo como um todo e realizando um diagnóstico preciso, devolvendo a saúde ao nosso paciente.

 

Daniele H. Fukumothi – Cirurgiã-Dentista

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome