Reconhecida no Brasil e internacionalmente como uma especialidade médica, a homeopatia é um sistema organizado por Samuel Hahnemann entre os séculos XVII e XIX. Ela tem como diferencial a sua maneira própria de abordar e entender o paciente, valorizando a totalidade das queixas e características de cada pessoa. De acordo com o médico homeopata Marcelo Maravieski, o método tem como objetivo desencadear a reorganização da fisiologia, a partir de uma forma própria de medicar e atuar nos sistemas do paciente, atingindo resultados desde o nível físico até o comportamental.

Dentro da Homeopatia, segundo Marcelo, as chances de indicar o mesmo medicamento para duas pessoas são diminutas, pois cada um tem uma maneira própria de ser, viver e adoecer. Estes processos são diferentes para todos, e o médico homeopata observa isso, entendendo a totalidade da pessoa, observando como ela é e também como a doença se manifesta em seu corpo. “Os fatores que desencadeiam um quadro depressivo em uma pessoa, por exemplo, são diferentes dos de outra. Para tratar uma pessoa é preciso entender este todo e chegar, assim, a um remédio homeopático, personalizado para ela”, explica.

 

Atuação no comportamento

Quando se trata da mente, a homeopatia é indicada da mesma maneira, pois a parte comportamental é um dos sistemas que compõem o ser humano. “Ele está interligado com toda a parte física, pois existe uma simbiose, uma relação íntima entre ambas. A homeopatia pode ser coadjuvante, ou única, nos tratamentos mentais, depende do grau da doença e do comprometimento do paciente”, diz o homeopata.

De acordo com Dr. Marcelo, assim que a fisiologia se organiza, a doença desaparece, e todas as disfunções clínicas e problemas que não necessitam de ações cirúrgicas também vão embora. “Mulheres que possuem, por exemplo, uma TPM (tensão pré menstrual) intensa, estresse, cólicas, insônia, não vão tomar vários remédios. O medicamento atua como efetivo em todas as situações clínicas que não envolvem cirurgias, agindo não só na parte física, mas também na comportamental. Pacientes com quadro depressivo, crianças com déficit de atenção, podem também ser beneficiados pela homeopatia”, afirma o médico que já atuou como médico homeopata da equipe do CAPS infantil, em Itajaí/SC.

Provavelmente você já ouviu falar que durante os tratamentos homeopáticos outros medicamentos serão tirados, mas nem sempre isso é verdade, segundo Dr. Marcelo. Por isso, pessoas com quadros psicológicos ou psiquiátricos também podem se beneficiar do tratamento, sem a preocupação de que outros tratamentos que já estão em curso serão suprimidos. “Desde o início do tratamento, os outros medicamentos são mantidos, pois situações indesejadas podem ocorrer com uma retirada brusca. A retirada, quando pertinente, de acordo com a evolução da resposta terapêutica de cada pessoa, poderá acontecer e de maneira paulatina e gradual. Assim como as doenças orgânicas, as comportamentais também possuem seus níveis, e é importante ressaltar que a homeopatia não exclui os outros métodos, pelo contrário, na prática existe cada vez mais uma interação entre especialidades, inclusive dentro da área de psiquiatria”, esclarece.

“Em minha experiência profissional com crianças, em escolas e no CAPS infantil, os homeopáticos foram benéficos e houve aquelas que deixaram de tomar seus remédios tradicionais”, relata o homeopata.

 

O homeopático para você

O diagnóstico para os medicamentos voltados para o emocional, segundo Dr. Marcelo, é feito a partir da avaliação do comportamento do paciente, de preferência sempre com uma pessoa próxima ou familiar, que irá ajudar a entender o que destoa nesta pessoa em termos comportamentais. “Observo quais pontos do paciente saem do que é funcional e fisiológico, ou seja, tudo aquilo que se apresente como um sintoma da área emocional, e não só uma característica pessoal do indivíduo. Existe também o grau de comprometimento, em que nível esta pessoa está apresentando este sintoma”, explica.

“Se vou tratar alguém com queixas químicas-orgânicas, vou avaliar também a parte comportamental dela, assim como o inverso. Se um paciente está com um quadro de depressão, durante a consulta irei avaliar seus órgãos e seu sistema físico, pois ele não está adoecido somente na parte comportamental. Existirão também problemas em outras partes do corpo que serão avaliadas, justamente porque vou tratar a pessoa como um todo, na sua integralidade”, esclarece o médico.

 

Eu posso tomar medicamentos homeopáticos?

De acordo com o homeopata, não existem contraindicações, desde que haja orientação médica para o uso. Fazendo a utilização do medicamento da forma correta, até mesmo a diminuição ou anulação dos medicamentos anteriores pode ser efetuada, de acordo com a evolução de cada pessoa. “Apenas temos que tomar cuidado em não criar expectativas, pois como qualquer especialidade médica, não devemos criar falsas expectativas sobre uma técnica, desencadeando uma ansiedade ainda maior no paciente”, salienta Dr. Marcelo.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome