Saiba como funciona o cérebro na hora que estamos sonhando

 

Ninguém gosta de ter sonhos ruins, especialmente aqueles que são tão assustadores que acabam nos acordando no meio da noite. E é exatamente isso o que diferencia sonhos perturbadores de pesadelos: apesar de também serem carregados de emoções, os sonhos perturbadores não fazem com que a pessoa acorde no meio da noite, como os pesadelos fazem. “Quando dormimos há o encontro do nosso consciente com o inconsciente. É como se uma porta abrisse proporcionando o encontro do racional com o que foi reprimido, fazendo conexões mais criativas e livres, mas o nosso inconsciente trabalha através de símbolos, por isso, torna-se tão difícil decifrar os sonhos”, explica a psicóloga Marionita Gonçalves.

Os pesadelos são mais comuns em crianças e adolescentes, mas podem ocorrer em qualquer idade. São vários os fatores que podem estar relacionados aos pesadelos, como o estresse, sentimentos negativos, ansiedade, medo, privação de sono, medicação, uso de álcool e outras drogas, má qualidade do sono ou alguma situação ruim que a pessoa esteja passando. “Os pesadelos são uma forma de processar sentimentos, emoções e experiências que não conseguimos compreender acordados. Nosso cérebro em uma tentativa de nos proteger, guardando no nosso inconsciente sentimentos nocivos, sensações desagradáveis e desejos reprimidos, ao dormir torna-se uma passagem aberta para esses sentimentos e assim ocorrem os pesadelos”, comenta Marionita.

Eles costumam ocorrer no estágio REM do nosso sono, isso é, o Rapid Eye Movement (rápido movimento dos olhos), que é a última fase do ciclo do nosso sono, momento em que não estamos mais em sono profundo e que antecede a fase inicial do próximo ciclo. Há movimentos rápidos dos olhos e os batimentos cardíacos aceleram – nessa fase, costumamos ter sonhos ou pesadelos. “É nessa fase que o nosso cérebro processa tudo que foi aprendido durante o dia e tenta descartar aquilo que está angustiando o indivíduo”, afirma a psicóloga.

 

É normal ter pesadelos ou sonhos repetidos?

 

Muitas pessoas se queixam de ter o mesmo sonho ou pesadelo mais de uma vez e, segundo a psicóloga, é bom ficar alerta caso isso aconteça. “Quando o sujeito passa a ter pesadelos ou sonhos repetidos com muita frequência é um sinal de que o inconsciente necessita que o sujeito entenda um conflito emocional que esteja vivendo. Sentimento de tristeza, medo, nojo e confusão durante os sonhos, pode definir de onde vêm os pesadelos. Nessa situação recomenda-se buscar uma psicoterapia, um psiquiatra ou um médico especialista em distúrbios do sono. Pesadelos com frequência podem ser sinais de distúrbio psiquiátrico ou do sono”, alerta Marionita.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome