Incontinência urinária, fecal e “bexiga caída”, a fisioterapia pélvica pode ajudar em todos esses problemas

 

A fisioterapia pélvica é uma especialidade no campo da fisioterapia que envolve a prevenção e tratamento dos distúrbios cinético-funcionais da pelve humana, e pode auxiliar em disfunções pélvicas, anorretais, urinárias e sexuais, tanto de homens, mulheres e crianças. A fisioterapia pélvica atua no tratamento de tudo que envolve os músculos do assolho pélvico. “São realizadas contrações desses músculos, que são movimentos como se fosse segurar o xixi e o pum”, explica a fisioterapeuta pélvica Amanda Tomen (Cro 22055 – Pr).

São muitos os benefícios que esses exercícios podem trazer, entre eles evitar problemas que muitas pessoas consideram normal do processo de envelhecimento, mas que na verdade não são e podem ser evitados, como a incontinência urinária, fecal e prolapsos, a chamada “bexiga caída”.

Além disso, esse tipo de fisioterapia também pode ajudar as grávidas. Os exercícios são muito importantes nesse período, pois durante a gravidez, a musculatura do assoalho pélvico é mais exigida que de costume, devido à necessidade de sustentar o útero na fase gestacional e o aumento do peso corporal. “Para manter a sua função durante a gestação e parto, é necessário que a musculatura do assoalho pélvico esteja forte para permitir a sustentação dos órgãos pélvicos e evitar problemas como a incontinência urinária/fecal e prolapsos”, ressalta a fisioterapeuta.

Outros benefícios da fisioterapia pélvica para gestantes são a diminuição dos desconfortos lombares e pélvicos, redução do inchaço, melhora da respiração, relaxamento muscular, melhora da consciência corporal e até a diminuição do tempo de trabalho de parto. “Contudo, vale lembrar que os exercícios devem ser indicados por um especialista após a avaliação funcional da paciente, e o profissional de fisioterapia pélvica que vai indicar a frequência, força e tipo do exercício que você deve fazer”, finaliza Amanda.

 

Outros benefícios da fisioterapia pélvica, segundo a fisioterapeuta Amanda Tomen

As principais indicações e disfunções tratadas pela fisioterapia pélvica são:

  • Miccionais: incontinência/urgência/retenção urinária, infecção urinária de repetição;
  • Anorretais: incontinência fecal/constipação;
  • Sexuais: dor na relação sexual/ausência de orgasmo, disfunção erétil/ejaculação precoce;
  • Disfunções pélvicas infantis: enurese (xixi na cama), incontinência/retenção urinária;
  • Prolapsos genitais: “queda” de órgãos pélvicos, cistocele (popular “bexiga caída”), retocele, prolapso uterino;
  • Pré e pós-operatório de cirurgias pélvicas: prostatectomia, perineoplastia, colocação de tela de suporte ou sling, cirurgias reparadoras de esfíncteres, dentre outras;
  • Obstétrica: preparação para o parto (independente da via de parto ser vaginal ou cesárea) e pós-parto.
Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome