O dinheiro compra tudo? 

A ciência apresenta muita dificuldade em definir “o que é a vida”. Mas a maioria dos cientistas é unânime em afirmar que onde há vida existe troca de energia. Porque o conceito de energia envolve a capacidade de produzir trabalho ou ação, portanto entendemos que vida é movimento, ação.

Existem muitos tipos de energia, cinética, mecânica, quântica, e o ser humano é movido por inúmeras reações químicas que se transformam em energia mecânica, térmica, cinética, por exemplo o coração é um órgão que pulsa e impulsiona o sangue resultado da transformação da energia química em mecânica, cinética e elétrica. Mesmo o cérebro tem mecanismos físicos, químicos e elétricos ainda de difícil entendimento, mas entendemos que esses mecanismos dentro da célula cerebral ocasionam o fenômeno da consciência, talvez a maior maravilha, porque a racionalidade nos qualifica como seres superiores.

A energia que recebemos do sol tem sua origem da fusão nuclear de átomos e hidrogênio que são convertidos em hélio no interior da estrela. O oxigênio tão importante para a vida é resultante dos pulmões das florestas, onde as árvores para viver utilizam gás carbônico e exalam oxigênio de extrema importância para nós humanos, assim como para os animais.

Não podemos esquecer que no final da vida, moribundos, sufocados porque a morte está próxima e clamamos por oxigênio como a única solução para ainda nos mantermos vivos. Mas nem só de oxigênio e glicose vive o homem, necessita também de substâncias especiais produzidas pelas glândulas pineal, ovários e testículos.

Pineal – tem aproximadamente 150mg no individuo adulto, localizada próxima ao centro do cérebro, produz hormônio melatonina. Ação importante nos chamados ciclos cercadeanos vitais, os quais são responsáveis pelas atividades sexuais, reprodutivas e de ciclagens hormonais. A melatonina hoje é imprescindível para um sono tranqüilo, na prevenção de depressão e na imunidade, tão importante para combater infecções e cânceres. Melatonina tem conotação com vida longa.

Ovários – são duas glândulas sexuais femininas situadas a cada lado do útero. Os ovários produzem óvulos para a fecundação e hormônios importantes para a saúde da mulher, bem como na manutenção da jovialidade feminina. Esses hormônios, estradiol, estriol e progesterona,  tão importantes na fisiologia feminina podem ser reproduzidos em laboratórios com a mesma composição dos átomos e moléculas da mulher, por isso chamados bioidênticos.  Existe também um modelo atômico molecular originário na urina de animais, chamado sintético.

Para uma mulher ter vida saudável implica em ossos e pele fortes, com altos índices de colágeno, cálcio, fósforo, magnésio. Os hormônios produzidos pelos ovários são os responsáveis por preservar a saúde bucal, com dentes saudáveis, conservar a atenção e a memória, manter o desempenho sexual, melhora da umidade vaginal, cabelos e unhas fortes, qualidade de visão e audição, prevenção de Alzhemeir, câncer de intestino, doenças do coração, combate a sensação de fadiga e perda de energia e o cansaço exagerado, aumentando assim o interesse pela vida.

Testículos – em número de dois estão situados em uma bolsa músculo-cutânea chamada escroto, localizada na parte anterior do períneo. Suas duas funções primordiais estão ligadas na produção de espermatozóides e do hormônio testosterona que no feto desenvolve a genitária externo masculina. O corpo de homem e mulher se diferencia pela ação da testosterona, pois implica em formação de massa muscular, distribuição de pelos, barba, nas cordas vocais produz um som grave característica da voz da masculina. O hormônio testosterona é responsável pelo desejo, libido, a ereção, prazer, bem estar, humor, distribuição de gorduras, fortalecimento do coração, músculos mais fortes, cognição, atenção.

Na espécie humana a glândula pineal, responsável pela produção de melatonina, inicia a sua decadência por volta dos 28-30 anos, e também a fisiologia ovariana e a produção hormonal começa a flutuar e assim inicia o envelhecimento feminino, porque a natureza entende que a função da mulher é procriar e isto deve ser realizado até os 30 anos.

 

Compramos tudo…

O ser humano pode ser avaliado por diferentes visões: cientifico, religioso, filosófico, psicanalítico, mercantilista e também holístico. Há uma corrente de pensadores que entende que o mundo contemporâneo, o nosso de hoje, pode ser ajudado na sua maneira de viver, trabalhar e sentir a vida como ela é pela influência de idéias de outros pensadores e filósofos vividos em épocas anteriores, como Cênica, Platão, Sócrates, Epicuro. Os seus ensinamentos são úteis em todas as épocas porque entendem que a busca do homem muda apenas a roupagem, mas o conteúdo permanece o mesmo. Explico: os fatos acontecem como a ave de minerva (coruja) só levanta vôo no final do dia, isto é, no inicio da noite, depois que o dia já está terminando e os fatos aconteceram. O pensamento filosófico se presta a isto, analisa os fatos depois de acontecido.

É preciso diferenciar entre economia de mercado e sociedade de mercado. O filosofo Michael Sandel é uma estrela em Harvard, explica que a economia de mercado é valiosa e efetiva para organizar uma atividade produtiva de mercado, uma sociedade de mercado no entanto é diferente, pois nela tudo está a venda e o pensamento econômico invade esferas que não lhe pertence. Hoje vivemos em uma sociedade que já tudo se compra:

– votos, apoio parlamentar, justiça;

– coração, rins, bebês e cidadania.

Nesse século presenciamos jovens mulheres vendendo a virgindade. É, a moderna economia da civilização capitalista prospera por meio das mazelas humanas.

Sócrates considerava que uma vez que o homem adquiriu muita fortuna será muito difícil desenvolver qualidades interiores. O rico seria menos virtuoso, já o virtuoso poderia se tornar rico financeiramente, um está contrapondo o processo do outro. Os desafios dos tempos contemporâneos, isto porque o homem busca incessantemente o dinheiro e bens materiais, está no encontro de enxergar as qualidades humanas e de como desenvolver estas qualidades, já que nossa sociedade autentica aquele que acumula dinheiro. O ignorante fica inteligente, o feio fica belo, e as virtudes podem ser compradas. E assim se analisa e caminha o homem moderno.

É preciso ponderar para que a mediocridade e a burrice não plantem raízes e o seu reinado em solo humano fértil empobrecido de valores éticos. O dinheiro estabelece uma relação artificial, ora se troca objetos, ora se vende a alma.

O homem desde a sua existência sempre procurou saber quem é, de onde veio e para onde vai. Perguntamos-nos onde está a verdade, você sabe, caro leitor, a resposta? Nós entendemos que a verdade está em procurá-la e na dificuldade de encontrá-la. A verdade estamos sempre buscando, quem acha que a encontrou é um dogmático e aquele que acha que ela não existe é um séptico. A verdade será multifacetada, cientifica, espiritualista, filosófica, e haja a explicação que houver ela deve ser sempre dirigida e focada no ser humano.

Na bíblia, em Matheus 4.4, Judas renunciou a sua condição de apóstolo por um punhado de moedas, mas a resposta vem em seguida por que isto aconteceu? No versículo seguinte Deus se posiciona perante este acontecimento, alertando a condição humana: “não só de pão vive o homem, mas também da palavra que vem da boca de Deus”. Muitas vezes estamos famintos, reclama o corpo e reclama a alma, porque o que é bom para o corpo pode não ser bom para a alma. E foi assim que sentenciou Aristóteles: “a felicidade não pode ser produzida por meio de causas externas, sendo antes uma experiência de beatitude endógena, interior”.

Nos tempos atuais, a medicina oficial está muito focada na doença e tem dificuldade em trabalhar na prevenção. Existe um conceito científico, filosófico e espiritualista que fala: melhor prevenir do que remediar, denotando que com medidas preventivas pode-se evitar muitas doenças que podem ser graves e culminar com a morte. “Melhor prevenir do que remediar” é uma famosa frase proferida pelo filósofo e matemático Blaise Pascal, que viveu no século XVII, ele apostou que nós devemos estar sempre errado em relação a Deus. È muito melhor acreditar que ele existe mesmo que todas as provas falem o contrário, e refere mesmo assim prefiro acreditar e estar ao lado de Deus.

A máxima que se chega nesse contexto é envelhecer com qualidade de vida e saúde e envelhecer com Deus. Envelhecer de maneira saudável significa saber entender as marcas do tempo e conviver pacificamente com as restrições e as limitações que o passar dos anos nos impõe, pois aí interagem corpo, emoção e alma, compondo este extraordinário e fascinante mundo maravilhoso. Porque há pessoas escravizadas que só vêem beleza naquilo que se compra ou vende. Mas há pessoas que conseguem ver o belo naquilo que foi presenteado pela natureza, como a vida, flores da primavera, as folhas secas do outono, o amanhecer e o pôr do sol, o riacho correndo, os pássaros cantando.

Talvez a máxima Cristã deva aqui agora ser mencionada: como servir a dois senhores?

Leitor, pense sobre isto e reflita ainda mais com a letra da música What a Wonderful World (“Que mundo maravilhoso”), de Bob Thiele  e George David Wess, interpretada pela primeira vez  por Louis Armenstrong. Ao ler esta letra musical quem sabe a sensibilidade chegue e você consiga sinceramente responder a pergunta acima, além de outras questões existenciais que mais cedo ou mais tarde chegarão até você.

 

Que mundo maravilhoso  (What a Wonderful World)

 

Eu vejo as árvores verdes, rosas vermelhas também

Eu as vejo florescer para nós dois

E eu penso comigo,

Que mundo maravilhoso

 

Eu vejo o céu azul e as nuvens tão brancas

O brilho abençoado do dia, e a escuridão sagrada da boa noite

E eu penso comigo,

Que mundo maravilhoso

 

As cores do arco-íris, tão bonitas nos céus

Estão também nos rostos das pessoas que se vão

Vejo amigos apertando as mãos, dizendo:

“Como você vai?”

Eles realmente dizem:

“Eu te amo!”

 

Eu vejo bebês chorando, eu os vejo crescer

Eles aprenderão muito mais que eu jamais saberei

E eu penso comigo,

Que mundo maravilhoso

Sim, eu penso comigo,

Que mundo maravilhoso

 

… E eu digo a mim mesmo,

Que mundo maravilhoso

 

 Por: Dr. Edson C. Crema

 

Fonte: Revista Veja, edição 2296, ano 45, nº 47, matéria “Nem tudo se compra”; Revista Filosofia, edição nº 75, ano VII, outubro 2012, artigo “Dinheiro: o dublê da virtude”, de Renato Nunes Bittencourt; livro Por que erramos? O lado positivo de assumir o erro, de Kathryn Schulz; livro “Envelhecer com Deus”, de Roque Marcos Savioli.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome