Telefone
(42) 3035-4756 / (42) 8835-8583
 
compartilhe: Facebook Twitter RSS
data: 25/01/2012

Transtorno Bipolar

Bipolar

O transtorno afetivo bipolar se caracteriza pela alternância de estados depressivos com maníacos. O termo mania não se refere ao conceito popular, que é a tendência de fazer várias vezes a mesma coisa, mas sim ao fato de a pessoa apresentar fases de um estado de humor exaltado. A depressão do transtorno bipolar é igual à depressão recorrente que só se apresenta como depressão. As pessoas que sofrem deste mal tem uma tristeza e um humor alterado bem diferente. Não é ficar triste, é deprimir. Não é ficar alegre, é mais que isso.

O início desse transtorno geralmente se dá em torno dos 20 a 30 anos, mas pode começar até na senilidade (processo de envelhecimento). O começo pode se dar tanto pela fase depressiva como pela fase maníaca, iniciando gradualmente ao longo de algumas semanas ou meses, mas também pode se dar abruptamente em poucos dias. O transtorno bipolar pode se manifestar de várias maneiras, por isso se classifica em categorias como:

 

 

1. Bipolar tipo I: que se caracteriza por episódios de mania acentuada e depressão maior.

2. Bipolar II: que se caracteriza por episódios de depressão maior com hipomania.

3. Ciclo tímico: que se caracteriza por vários episódios de hipomania e depressão leve.

4. Tipo Misto: que se caracteriza por mania e depressão misturados com intensidade mais acentuada.

A causa de transtorno bipolar, propriamente dita, é desconhecida, mas há fatores que influenciam, como, por exemplo, parentes que apresentam esse problema, incidentes ou acontecimentos fortes e ou traumáticos. Em aproximadamente 80 a 90% a pessoa apresenta algum parente na família com Transtorno Bipolar.

Na fase depressiva a pessoa costuma apresentar perda de desejo, perda de interesse até por ela mesma, podendo negligenciar cuidados pessoais, baixa energia, falta de esperança no futuro, humor deprimido, sentimento de culpa, idéias suicidas, dificuldade de concentração, alteração do apetite e do sono, desinteresse sexual e diminuição das funções cognitivas.

As características da fase maníaca são elevação do humor, expansividade, elevada auto-estima, resistência ao cansaço físico, por isso pode perder noites de sono se ocupando com outras coisas, aceleração do pensamento e da fala, fraqueza de idéias, hipersexualidade, irritabilidade, baixa tolerância. Os maníacos se apresentam mais bem dotados, com capacidade para dar “lições” de todo tipo. Na ausência do juízo crítico podem cometer atos danosos a si mesmo, como empréstimos, gastos excessivos, experiências sexuais diversificadas, ultrapassando sempre o limite de sua segurança. Tudo é em demasia. Sua auto-agressividade e falta de limites podem levá-los ao suicídio ou a agressão aos familiares, e é comum comorbidade com o alcoolismo.

Vale à pena lembrar que o transtorno de humor tem várias categorias, além dos transtornos de humor bipolar, o que muitas vezes dificulta o diagnóstico e, portanto, pode retardar o tratamento adequado, que deve ser feito com medicação administrada pelo psiquiatra e psicoterapias.

O diagnóstico, atualmente, é realizado basicamente através da avaliação clínica, observando sinais, sintomas, curso dos sintomas ou das manifestações do comportamento, temperamento e estilo; história familiar que avalie o componente genético como fator de risco; ambientais, como abuso, traumas, perdas recentes; resposta a fármacos (terapêuticos ou drogas de abuso, como o álcool); às vezes o médico pode solicitar exames complementares (laboratoriais ou de imagem cerebral), quando indicado.

Em qualquer uma das categorias do transtorno do humor é importante a psicoterapia para conscientização da doença, aderência ao tratamento, apoio, ajudando a nortear a vida destes pacientes que são muito desorientados, mudam de rumo com freqüência e necessitam de ajuda para encontrar um objetivo mais constante. A grande maioria dos pacientes quando medicado e em psicoterapia ficam adaptados à vida, assim devemos aproveitar o alto grau de inteligência desses pacientes para que eles tenham segurança, bem estar, bom relacionamento familiar e profissional e qualidade de vida.

 



Gostou desta matéria? Então Compartilhe!