Cuidados básicos com a voz ajudam na preservação de possíveis alterações e doenças vocais e devem ser seguidos por todos, principalmente por aqueles que a utilizam como ferramenta de trabalho

É através da voz que nos expressamos, nos comunicamos e interagimos com as pessoas. Porém, alguns cuidados precisam ser tomados, principalmente por pessoas que utilizam a voz mais do que no uso cotidiano, como professores, jornalistas, cantores, atores e outros. Ao longo do tempo, alguns problemas podem surgir e, conforme explica a fonoaudióloga Jaqueline Novis (CRFa 3-11152) “é considerado um problema de voz quando ocorrem dificuldades na produção vocal, ou seja, algum sinal de que a voz não está se comportando de forma eficiente, produzindo sintomas como falhas na voz durante o dia, rouquidão permanente por mais de 15 dias, alterações vocais perceptíveis (voz mais grave que o normal, voz mais aguda), fadiga vocal, mudanças repentinas e perceptíveis na voz”, afirma a fonoaudióloga. 

Muitas pessoas acreditam ser um problema o fato da voz mudar durante o dia. Contudo, isso acontece porque a tensão do corpo varia e a voz tende a acompanhar o estado físico e emocional. “É comum ao acordarmos que a nossa voz esteja rouca. Isso se justifica pelo fato de que quando acordamos, estamos com o corpo mais relaxado e ainda não utilizamos a voz. Portanto, ela muda durante o dia conforme a utilizamos, tornando-se mais ‘aquecida’ com o passar do dia e, muitas vezes, demonstrando cansaço ao final do dia, dependendo da demanda vocal dos afazeres da pessoa”, salienta Jaqueline. 

Por isso, quando a pessoa encontra-se abalada emocionalmente, a voz tende a ficar mais trêmula e inconstante, por exemplo. Em casos de falta de voz, o ideal é buscar fontes de informações profissionais para se informar da melhor forma possível. “É preciso estar atento ao fato de que caso a sua voz permaneça com sintomas vocais anormais por mais de 15 dias, é necessário procurar ajuda profissional, que nestes casos geralmente são os fonoaudiólogos e otorrinolaringologistas”, alerta a profissional.

É importante ter um olhar diferenciado para a produção vocal, de modo que tenhamos cuidados de saúde e higiene vocal prezando o cuidado com a nossa principal ferramenta de comunicação, que é a voz. Já pararam para pensar o impacto que teria em nossas vidas se perdêssemos a voz de um dia pro outro? Isso pode acontecer caso não mantenhamos alguns cuidados básicos. A nossa voz faz parte da nossa identidade, nossa personalidade e, muitas vezes, não damos o devido valor aos cuidados para manter a saúde vocal intacta e livre de quaisquer problemas e alterações que possam ocorrer.

Dicas de cuidados com a saúde da voz, por Jaqueline Novis

– Beba água, regularmente, em pequenos goles, a água hidrata o organismo e favorece uma emissão vocal sem tensão (mínimo 2l por dia);

– Tenha momentos de descanso durante o dia, poupando a sua voz;

– Evite gritar ou falar frequentemente em forte intensidade, sempre que possível procure se aproximar do outro para conversar;

– Evite competição sonora: ao falar, reduza o volume da TV ou do som; 

– Evite pigarrear ou tossir demais, pois isso provoca um forte atrito entre as pregas vocais, irritando-as. Procure substituí-los por uma respiração seguida de deglutição de saliva para deslocar a secreção. Se o problema persistir, procure um médico; 

– Fique atento a possíveis ressecamentos do trato vocal quando estiver exposto ao ar-condicionado. Isso pode levá-lo a produzir uma voz com maior esforço e tensão. Se este for o seu caso, procure manter-se bem hidratado e beber água em pequenos goles durante o período de exposição; 

– Evite chupar balas ou pastilhas fortes, assim como utilizar sprays, que mascaram o sintoma de garganta irritada e faz com que você produza a voz com esforço, sem perceber. Quando o efeito da bala passar, a irritação na garganta será ainda maior. Em substituição a estas alternativas, procure fazer repouso vocal; 

– Evite falar muito quando estiver gripado ou em crise alérgica, pois, nestes casos, o tecido que reveste a laringe está inchado e haverá grande atrito entre pregas vocais durante a fala; 

– Evite fumar e ingerir bebidas alcoólicas em excesso. Tais hábitos irritam a laringe. Além disso, o cigarro aumenta consideravelmente o risco para o desenvolvimento do câncer de laringe e pulmão. O fumo é altamente nocivo, pois a fumaça quente agride o sistema respiratório e principalmente as pregas vocais, podendo causar irritação, pigarro e edema. Álcool em excesso também é prejudicial para as pregas vocais e tem efeito analgésico, fazendo com que você cometa abusos vocais sem se dar conta; 

– Evite se automedicar. Muitos remédios podem indiretamente piorar a sua voz. Fique atento a medicações que causam sensação de boca seca. Busque por orientação médica.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome