Essa é uma doença infecciosa e inflamatória que pode acometer as 3 porções do ouvido, sendo elas a externa, média ou interna

Quem é que nunca sentiu uma dor de ouvido? Mas, junto com a dor, outros sintomas importantes podem aparecer nessa doença que se chama otite. Considerada uma doença infecciosa e inflamatória, os sintomas variam muito de acordo com a faixa etária do paciente e vão desde dor local, dificuldade auditiva, febre, vazamento de secreções, coceira local e no caso dos bebês e crianças menores podem causar irritabilidade e recusa alimentar, de acordo com o médico otorrinolaringologista Rodrigo Pereira (CRM 28584/ RQE 18967). 

A otite se não tratada corretamente pode oferecer riscos para a audição. “Se não tratadas da maneira correta ou se tornem muito recorrentes, podem levar a perfuração do tímpano, perdas auditivas permanentes, paralisia facial e meningites”, afirma o médico. 

Basicamente, são 3 os tipos mais comuns da doença, sendo elas: 

  1. Otite externa: acomete o pavilhão e condutos auditivos; 
  2. Otite média: acometem o tímpano e o ouvido médio; 
  3. Otite interna: são normalmente casos mais graves onde estruturas mais profundas do ouvido são acometidas. 

Entre as causas mais comuns estão as bactérias e vírus. Porém, de acordo com Rodrigo, existem casos de otites causadas por fungos que costumam dar muita coceira e irritação local. “A obstrução nasal crônica pelo aumento da adenoide nas crianças pode levar a um tipo específico de otite chamada de ‘otite média serosa’ (ou por efusão) que pode levar à perda auditiva nas crianças se não tratada de forma precoce”, alerta Rodrigo. 

Cuidados

É importante tomar cuidado com crianças em piscinas, mar e cachoeiras, pois muitas infecções são adquiridas na água e, portanto, são mais comuns no calor. Secar sempre o ouvido, evitar o uso de cotonetes ou manipular o canal auditivo com palitos ou grampos. “Além disso, medidas de higiene nasal são muito importantes também (como o uso do soro fisiológico e tratamento adequado de rinite e da obstrução nasal, pois as gripes, resfriados e sinusites também podem complicar com otites”, destaca o médico otorrinolaringologista. 

Existe uma classificação que se divide em: 

1- Otites agudas: duram dias ou semanas e de forma geral se curam completamente após o tratamento correto sem outras sequelas;

2- Otites crônicas: são casos que normalmente cursam com perfuração no tímpano, otorreia crônica e fétida (ouvido vaza constantemente) e algum grau de perda auditiva já instalada. Normalmente, esses são casos que necessitam de tratamento cirúrgico.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome