O mês de novembro também é dedicado à oftalmologia. Saiba um pouco mais sobre a retinopatia diabética, doença que pode causar cegueira

 

O diabetes é uma doença complexa e progressiva que afeta os vasos sanguíneos dos olhos. “Quando este dano se instala, um material anormal é depositado nas paredes dos vasos sanguíneos da retina, região conhecida como “fundo de olho”, causando estreitamento e, às vezes, bloqueio do vaso sanguíneo, além de enfraquecimento de sua parede, o que pode causar deformidades conhecidas como microaneurismas”, ressalta a médica oftalmologista Eliana Pires (CRM 13614).

Esses microaneurismas costumam romper ou extravasar sangue, causando hemorragia na retina. “Existem duas formas de retinopatia diabética: exsudativa e proliferativa. Em ambos os casos, a retinopatia pode levar a uma perda parcial ou total da visão”, alerta Eliana.

 

  • Retinopatia Diabética Exsudativa: quando a hemorragia afeta a mácula (área da retina essencial para a visão central);
  • Retinopatia Diabética Proliferativa: quando a doença dos vasos sanguíneos da retina progride, ocasionando a proliferação de novos vasos anormais chamados “neovasos”. Esses, são frágeis e podem sangrar, além de se proliferarem para o interior do olho, causando graus variados de destruição da retina, dificultando a visão.

 

Dentre os tratamentos está o controle cuidadoso do diabetes atrelado à uma dieta adequada, uso de pílulas hipoglicemiantes, insulina ou uma combinação de tratamentos, que devem ser orientados por um médico endocrinologista. O uso de medicamentos com efeitos anti-inflamatórios, hoje injetados dentro do olho por um médico oftalmologista especializado nesta técnica, é um dos principais fatores de controle dessa doença vascular retiniana, já que sua ação inicia imediatamente. 

A fotocoagulação por raio laser é outro procedimento para o tratamento da doença. “Pequenas áreas da retina doente serão cauterizadas com a luz de um raio laser na tentativa de prevenir o processo de hemorragia. O ideal é que esses tratamentos sejam administrados no início da doença, possibilitando melhores resultados”, lembra a especialista. 

Vale ressaltar que a retinopatia diabética está relacionada ao tempo de convivência com o diabetes e com a falta de controle da glicemia. Dessa forma, é fundamental a consulta médica oftalmológica a cada seis meses, já que sem o diagnóstico e tratamento precoce, a retinopatia pode causar cegueira irreversível.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome