A amamentação natural, quando realizada até os seis meses, estimula o desenvolvimento dos ossos e músculos da face dos bebês

 
O leite materno é um composto natural que possui todas as substâncias que um bebê recém-nascido necessita. Ele conta com todos os nutrientes em quantidades adequadas, proporcionando o crescimento saudável da criança. O leite materno possui também fácil digestão, fornecendo assim água para hidratação do corpo e protegendo o organismo do bebê contra infecções e alergias. Além de todos esses benefícios, ainda contribui para o correto desenvolvimento dos ossos e músculos da face.

Segundo a odontopediatra Acácia Kaminski, durante a amamentação natural ocorre um esforço do bebê para conseguir o leite e esse esforço contribui para o correto desenvolvimento da musculatura mastigatória, que mais tarde será requisitada quando alimentos sólidos vão sendo apresentados, facilitando assim a introdução desses alimentos.

A amamentação natural, que deve ser exclusiva até os 6 meses, estimula também a prática da respiração nasal. Devido ao fato de que quando o bebê está mamando ele não solta o seio materno, respirando dessa forma somente pelo nariz. Cria-se assim o costume de realizar a respiração por vias nasais e beneficia a filtragem de ar pelo organismo. “As crianças que respiram pela boca, o palato fica mais fundo e estreito, comprometendo assim o formato da arcada superior, podendo ocorrer falta de espaço para os dentes permanentes, o que também pode ser a causa de algumas más oclusões”, explica Acácia.

Outro ponto importante, que a odontopediatra ressalta é sobre a amamentação noturna, que não deve persistir após a erupção dos dentinhos do bebê, pois durante a noite o fluxo salivar diminui e o leite que entra em contato com os dentes pode causar fermentação, resultando em cárie dentária.

 

Quando o uso da mamadeira é inevitável

O leite materno é sempre o melhor alimento para seu filho, mas em casos que o uso da mamadeira é necessário, a odontopediatra passa algumas dicas bem importantes para as mamães. “O bico da mamadeira deve ser anatômico, funcional, ortodôntico e, principalmente, com furo pequeno para que o bebê se esforce para sugar.  Aos seis meses começa a introdução de alimentos de forma gradativa, passando de líquidos para pastosos, semi-sólidos e sólidos’’.

Amamentar, além de fazer bem para a saúde da criança, cria um vínculo afetivo muito forte entre mãe e filho que dura a vida toda.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome