Tratamento ortodôntico pode ser a solução de diversos problemas.

Sintomas como cefaléia (dor de cabeça), dor na articulação têmporo-mandibular (ATM, região do ouvido), desvio da mandíbula podem ser ocasionados devido a má-oclusão dos dentes. Os problemas ortodônticos podem ter como causa fatores hereditários, respiratórios (atresia de maxilar, mordida cruzada, obstruções respiratórias), cáries, perda de dentes, traumatismos na face e dentes desalinhados, dificultando a mastigação e a fala.

Para melhorar a condição de saúde de maneira geral, o tratamento ortodôntico pode ser realizado em qualquer idade. “Sinalizar a má-oclusão dos dentes e alinhá-los facilita a higiene bucal, evita problemas de gengiva e de perda óssea, que é o suporte dos dentes. Além disso, evita desgastes excessivos entre os dentes, melhora a mastigação e podem prevenir problemas na articulação da mandíbula e traumas dentais”, afirma o ortodontista, Gustavo Toledo Alves. Um sorriso bonito também melhora psicologicamente a auto-estima.

A ortodontia é a especialidade da odontologia responsável pelo diagnóstico, prevenção e tratamento das irregularidades dentofaciais. Contudo, é comum surgir  dúvidas sobre quando é, realmente, necessário procurar um ortodontista para realizar os procedimentos e colocar o aparelho. Segundo Alves, é possível fazer um estudo através da miscigenação da pessoa, analisando o seu crescimento e a sua estrutura facial, e com estes dados verificar sua normalidade ou não. Para fazer o diagnóstico, o ortodontista solicita também a documentação ortodôntica do paciente, que é constituída, geralmente, por fotos, radiografias e um par de modelos de gesso, sendo de extrema importância para o estudo e planejamento do tratamento.

O tratamento ortodôntico pode ser iniciado a partir do nascimento dos primeiros molares. “Nesta fase, com seis ou sete anos, idade em que os dentes de leite já começaram a ser trocados pelos permanentes, o profissional pode intervir, imediatamente, nos casos que precisam de tratamento ou planejar para um outro período o tratamento”, responde Alves. Conforme ele, no tratamento de crianças o uso do aparelho ortodôntico pode ocorrer de um a dois meses para expandir a base óssea e mais cinco meses para formar o osso, claro que isto depende de cada caso.

No público adulto o tratamento, em média, é realizado entre um ano e meio a três anos. No entanto, isto depende de alguns fatores, como: “procurar o quanto antes um profissional capacitado na área, possibilidade de crescimento ósseo, complexidade do caso, cuidados com a higiene bucal, colaboração do paciente no tratamento, assiduidade às consultas de manutençãoe quanto antes procurar um profissional capacitado na ivas casos que precisam de tratamento ou planejar para um per”, explica o ortodontista.

Ao tirar o aparelho você acha que o tratamento está finalizado? Engano seu. “Após tirar o aparelho ortodôntico é feito o remodelamento para evitar o problema de recidiva que é a tendência do dente movimentado voltar à antiga posição”, ressalta Alves. Por isso, é importante explicar para o paciente todos os procedimentos que serão efetuados durante o tratamento e os cuidados após a remoção do aparelho. “O planejamento do tratamento é fundamental para obter um resultado positivo de acordo com a necessidade do paciente”, informa o cirurgião-dentista.

O tratamento ortodôntico é capaz de reduzir os impactos negativos, como inibição, vergonha de sorrir, problemas de dicção. “Com um tratamento ortodôntico adequado, o paciente é recompensado com a melhora  da estética facial e do funcional, já que problemas como da ATM,  bruxismo, contato prematuro e mordida errada, por exemplo, serão eliminados”, diz o ortodontista.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome