Técnica para aliviar as dores!

A acupuntura, usada há mais de três mil anos pelos chineses, passou a ter nova terminologia no Brasil como tratamento complementar.

A técnica milenar chinesa, curiosamente, foi descoberta quando um soldado ferido por uma flecha, na guerra, em determinado local do corpo, teve a cura de uma enxaqueca. Então, segundo o médico especialista em acupuntura, Rogério Ribeiro de Almeida, os chineses começaram a pesquisar pontos pelo método de apalpação e mapearam o corpo em pontos, chamados de acupuntura.

No ocidente, a acupuntura deixou de ser uma técnica da medicina alternativa e passou a ser considerada como medicina complementar. Com a aplicação desta ciência, reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina do país em 1995, que utiliza pequenas agulhas inseridas em determinados pontos do corpo, conforme Almeida, provocam reações que possibilitam tratar várias doenças, entre elas as doenças osteomusculares relacionadas ao trabalho (DORT), dores musculares, dores na coluna, cefaléias (dor de cabeça) e sintomas provocados pelo estresse e problemas emocionais, como depressão e ansiedade.

O procedimento que visa harmonizar o paciente, equilibrando as energias e agindo tanto no lado somático como no emocional, é realizada em conjunto com a medicina tradicional do ocidente. “Para realizar uma sessão de acupuntura é solicitado uma consulta com procedimentos da medicina ocidental para analisar os sinais e sintomas, e um exame físico, próprio da medicina chinesa, que são a pulsologia, ou seja, exame dos pulsos que avaliam como estão os diversos órgãos em termos de energia e também o exame da língua fazendo, assim, um diagnóstico do que apresenta o paciente”, afirma o médico acupunturista.

A próxima etapa do tratamento, de acordo com Almeida, é o agulhamento em pontos mapeados conforme o diagnóstico do paciente. “O paciente fica em torno de 20 minutos com as agulhas no corpo e ao terminar a aplicação ele tem a sensação de bem-estar e de tranqüilidade. Isto acontece porque o efeito da acupuntura é conduzido através dos nervos e o estímulo promovido pelas agulhas gera impulso para a liberação dos neurotransmissores como endorfinas, dopamina, serotonina, adrenalina, entre outros”, explica o médico especialista também em anestesiologia – área de atuação em dor.

O tratamento indicado, principalmente, para aliviar as dores, conforme Almeida, é demorado, lento, mas muito eficiente. “Dependendo do caso, em dez sessões é possível controlar a dor do paciente, sendo realizada uma sessão por semana”, declara. Quanto aos efeitos colaterais provocados pela acupuntura “são muito poucos, mas existem possibilidades de fazer alguns estímulos que não são aconselhados, por exemplo, para gestantes”, diz o médico.

Além de aliviar as mais diversas dores, segundo uma pesquisa realizada por especialistas do país oriental e publicada no jornal “China Daily”, a acupuntura pode tratar de 461 doenças, a maioria delas relacionadas ao sistema nervoso, digestivo, órgãos genitais e urinários, músculos, ossos e pele.

Acupuntura dói?

As agulhas usadas na acupuntura são pequenas e finas e a dor da pulsão, conforme o acupunturista, é menor do que a da injeção. “Porém é necessário sentir algum estímulo nos pontos de acupuntura que são as terminações de pequenos nervos, já que a ação desta medicina chinesa é no sistema nervoso central”, ressalta Almeida.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome