Quando o assunto é bebê, muitos mitos e crenças são propagados. Confira o que é verdade ou mito nas respostas concedidas pela pediatra, Dra. Regina Maura Taques Cruz.

Quais os cuidados que mãe deve ter com o coto umbilical?

A limpeza do coto umbilical deve  ser realizada logo após o banho, mais ou menos três vezes ao dia, utilizando algodão de gaze umedecida com álcool 70%. Geralmente o coto cai em torno de sete dias. O uso de substâncias como teia de aranha, borra de café e arruda é mito. E também não recomendamos o uso de faixas e moedas para o umbigo não ficar “saltadinho”.

 

Muitas mulheres não querem amamentar porque tem a afirmativa que os seios caem depois da amamantação. Mito ou verdade?

Mito, se uma mulher acredita que o alimento materno afetará negativamente a aparência de sua mama, ela diminui suas chances de sucesso no alimento. Este equívoco é lamentável. O aleitamento materno não prejudica a aparência da mama e apresenta vantagens significativas para a saúde da mãe e do bebê.

 

O leite da mãe é fraco, por isso o bebê chora de fome. Existe leite fraco?

Não, o leite materno não é fraco, ele é completo e deve ser utilizado até o sexto mês de idade da criança como única fonte de vitaminas, somente em situações especiais entra outro tipo de leite. O tamanho da mama não esta diretamente relacionada com a quantidade de leite, o que proporciona o seu tamanho é a gordura e não a glândula mamária. A prótese de silicone também não interfere na produção de leite.

 

È verdade que canjica, chá, cerveja preta e outros alimentos aumentam a produção de leite?

É um mito, o que ajuda na produção do leite é a ingestão de líquidos e alimentação balanceada.

 

Se a mãe comer alimentos ácidos, chocolate, feijão, temperos fortes, como o alho, por exemplo, durante o período de amamentação, provoca cólica ou alguma reação alérgica no bebê?

Não fizemos restrições quanto a dieta materna, salvo em algumas situações de alergias alimentares, que são freqüentes. Existem alguns alimentos que conferem sabor diferente no leite materno, como por exemplo o alho.

 

É verdade que a mulher que está amamentando não pode ingerir leite de vaca e derivados?

Não, como já comentamos, interferimos na dieta materna somente quando for evidenciado algum tipo de alergia ao bebê.

 

Quando a mãe não consegue amamentar o bebê recém-nascido, o que fazer? Qual é o o leite melhor nesta situação?

Quando a mãe estiver impossibilitada de amamentar, independente do motivo, devemos utilizar leite de fórmula, estipulado para cada idade específica.

 

Realizar compressas de água quente nos seios ingurgitados ajuda no alivio da dor?

Sim, quando as mamas estão ingurgitadas as compressas mornas agem como analgésico. Orientamos também a realização de ordenha manual ou a esgotadeira elétrica (somente quando o leite estiver saindo, caso contrário vai doer mais).

 

Qual o leite provoca mais cólicas?

Estatísticas mostram que os bebês alimentados com leite materno ou com leite de fórmulas tem taxas semelhantes de cólicas. Em outros estudos vimos que filhos de pais estressados e ansiosos tendem a sofrer mais com este problema.

 

È verdade que a mãe que deixar de amamentar por um ou dois dias não poderá amamentar novamente?

Isto é um mito, pois a mãe que deixar de amamentar por algum motivo especial poderá voltar a fazer tranquilamente, o que ela deve fazer é ordenhar as mamas manualmente ou com esgotadeira, para que faça o mesmo estímulo da sucção do bebê.

Existe uma crença popular que banho de picão, caco de telha, banho de ovo cura o amarelão do bebê?

Mito, o amarelão é o que chamamos de icterícia, pode ocorrer nos três primeiros dias de vida, ou mais tarde, também pode ser fisiológica, na sua grande maioria, ou patológica. O banho de sol pode ajudar a diminuir o amarelão, associado ao aleitamento materno. Temos amarelão de formas leves onde orientamos banho de sol e as vezes banho de luz (fototerapia). O amarelão que atinge a pele dos bebês costuma aumentar até o sétimo dia de vida e depois tende a diminuir. Alguns casos devemos investigar a presença de doenças, saber o tipo sanguíneo da mãe. Geralmente quando a mãe ganha alta da maternidade ela recebe informações quanto  ao amarelão e como ela deve proceder nos casos de aumentar os níveis da icterícia.

Sendo assim não recomendamos banhos de ovo, telha, picão. Apenas banho de sol ou fototerapia, e em casos raros a exsanguineo transfusão.

“Esta matéria expressa minha opinião. Ela não substitui uma consulta pediátrica, na qual tem o olhar, o ouvir, o tocar, o sentir do pediatra de confiança da família”, ressalta Dra. Regina Maura.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome