Por Rodrigo Pereira

Otorrinolaringologista (CRM 28584/ RQE 18967)

O café em excesso pode agravar a labirintite, mas não é o único vilão. Também outras bebidas “neuro-estimulantes” como energéticos, podem influenciar nos quadros de tonturas. Além disso, beber pouca água e abusar de alimentos ricos em açúcar também podem ser desencadeantes de crises de tontura. 

​As tonturas de forma geral (e aqui incluímos a labirintite como apenas uma delas), podem ter suas crises desencadeadas também pelo estado emocional em que o indivíduo se encontra. Ou seja, estresse, ansiedade e nervosismo podem propiciar ou piorar crises de tontura. Da mesma forma, os zumbidos nos ouvidos têm a mesma relação em muitas pessoas. 

​Um certo mito que escutamos com alguma frequência é colocar tontura como sinônimo de labirintite, como se fossem “a mesma coisa”. Isso não é verdade, pois dentro das tonturas temos, por exemplo, diversas doenças com manifestações clínicas diferentes, tais como: ​

– Doença de Ménière;

– VPPB (vertigem posicional paroxística benigna);

– Neurite vestibular;

– Cinetose;

– Doenças neurológicas centrais. 

Além disso, é muito importante ressaltar que nos casos de sintomas de tontura ou desequilíbrio, um médico otorrinolaringologista deve ser procurado para um correto diagnóstico e tratamento.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome