Espinhas, mau-humor e insônia podem ser resultado deste doce que faz parte do dia a dia de muitos brasileiros?

 

Que o chocolate é uma delícia, todo mundo sabe. Mas, e quando se trata de todas aquelas lendas que giram em torno dele, você conhece todas as respostas? Por esse motivo, a Revista Mais Saúde entrevistou a nutricionista funcional Priscilla Franceschini, que esclarece algumas das dúvidas mais comuns do mundo do chocolate para você come-lo sem culpa. Ou será que com mais culpa ainda?

 

Revista Mais Saúde – É verdade que a ingestão de chocolate ajuda no desempenho do trabalho e estudos?

Priscilla – Em partes. Isso vai depender do teor de cacau do chocolate. Chocolates com baixo teor de cacau e mais açúcar e gordura na composição podem piorar a concentração, já chocolates com alto teor de cacau, vão ter maior concentração de substâncias que ativam o cérebro, aumentando o poder de atenção.

 

Revista Mais Saúde – Quanto mais amargo o chocolate, melhor ele é para a saúde?

Priscilla – Verdade. Os efeitos benéficos do chocolate amargo são conhecidos e têm sido mais divulgados atualmente. Por ser composto à base de cacau, fonte natural de polifenóis, o chocolate perdeu o status de vilão, quando se considera os tipos com maior porcentagem de cacau.  Os polifenóis ganharam mais atenção e maior interesse nutricional devido à sua capacidade antioxidante, anti-inflamatória e as suas possíveis implicações benéficas na saúde humana, tais como no tratamento e prevenção do câncer, doença cardiovascular e outras patologias. Tem-se discutido sobre outros efeitos também, como ação antimicrobiana, vasodilatadora e analgésica.

 

Revista Mais Saúde – É verdade que o chocolate branco não pode ser considerado um chocolate?

Priscilla – Mito. Existe uma grande diferença entre o chocolate preto e o chocolate branco, a começar pelo sabor. Um chocolate é considerado chocolate, quando possui cacau em sua fórmula. No momento da produção do chocolate, o cacau é prensado e se divide em duas partes: a massa do cacau e a gordura (manteiga de cacau). Com a massa do cacau, ou seja, a parte sólida, é feito o chocolate preto, e com a manteiga do cacau, se processa o chocolate branco, que consiste basicamente em gordura, açúcar e leite.

Pelo fato de não ter em sua composição o cacau sólido, e sim apenas a gordura da fruta, o chocolate branco tecnicamente não é um chocolate. Porém, no Brasil, para ser considerado chocolate deve ter determinada quantidade de cacau em sua composição, para cada categoria. O chocolate branco deve ter no mínimo 20% de cacau, independente se é a manteiga ou massa de cacau.

 

Revista Mais Saúde – O poder afrodisíaco do chocolate é uma verdade ou apenas um mito?

Priscilla – Verdade. Com o consumo de chocolate pode haver sim um efeito afrodisíaco, por conter substâncias (endorfinas) que proporcionam bem-estar, força e vitalidade.

 

Revista Mais Saúde – O chocolate pode mesmo piorar os quadros acnéicos?

Priscilla – Em partes. O chocolate pode piorar o quadro de acne em pacientes predispostos em função do açúcar, mas isso para chocolates com menor teor de cacau. Ele, assim como outros carboidratos, tem alto índice glicêmico, o que pode gerar um maior estímulo na glândula sebácea. Nesses casos, para pessoas com essa predisposição, a melhor opção é usar chocolates com alto teor de cacau.

 

Revista Mais Saúde – É correto ingerir um quadradinho de chocolate por dia?

Priscilla – Na minha prática, sempre indico o uso  de chocolates com alto teor de cacau (a partir de 70% cacau). Na média de 20-30g por dia de chocolate amargo.

 

Revista Mais Saúde – O chocolate nos deixa mais felizes? 

Priscilla – Verdade. Pesquisas mostraram que o consumo de alto teor de cacau rico em flavonoides pode reduzir a excreção urinária de catecolaminas e cortisol em indivíduos estressados. Outro estudo realizado com homens saudáveis, entre 20-50 anos, que consumiram 50g de chocolate amargo, mostrou resultados positivos na diminuição de efeitos inflamatórios e de estresse, ou seja, chocolate amargo desempenha sim uma importante função no controle do estresse.

 

Revista Mais Saúde – Consumir chocolate antes de dormir pode tirar o sono?

Priscilla – Verdade. No chocolate amargo, encontramos um teor maior de cafeína e teobromina, substâncias que tem como características serem mais estimulantes, então, dependendo do grau de sensibilidade da pessoa, em relação a metabolização desses compostos, pode sim gerar um desconforto na hora de dormir.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome