Com o estímulo da Copa do Mundo, seu filho quer praticar esportes? Saiba a idade mais indicada

 

Somos o país do futebol, a paixão nacional pelo esporte é fato inegável, e quem curte futebol, assim como outros esportes, seja vibrando, gritando e com a ansiedade a mil frente à televisão assistindo o seu time ou jogando uma pelada com os amigos, estará ainda mais envolvido com o Brasil sediando vários eventos de peso, como a Copa do Mundo, este ano, e as Olimpíadas, em 2016.

A expectativa, o glamour, a repercussão e a massificação da mídia na sociedade podem evidenciar determinados esportes e contribuir para que as crianças optem por aquela prática esportiva. Se seu filho pedir para fazer aulas de futebol, você apoia a sua decisão e matricula-o em uma escolinha? Antes de responder, saiba com que idade é indicado a prática desse e de outros esportes na infância.

Segundo a professora de educação física Patrícia Capote Schimanski, a criança pode ser inserida no esporte a partir do momento que ela consegue manter a coordenação motora, que acontece a partir dos 3 aos 5 anos de idade, dependendo de como é o desenvolvimento dessa criança. Em esportes coletivos, como o futebol, por exemplo, a pediatra Ana Paula Lopes Ribeiro diz que a partir dos 5 anos algumas crianças já estão aptas a participar, mas é preciso estar atento para que essa prática seja supervisionada por profissionais competentes e conhecedores das limitações da infância, não excedendo o treino e prejudicando o seu desenvolvimento.

O esporte, nessa fase, deve ser incluído como uma brincadeira. “Para a criança, a atividade deve ser praticada de maneira prazerosa, a cobrança no âmbito da competição não pode ser grande para não acometer o desenvolvimento muscular e articular dela. É essencial também que nessa idade ela pratique inúmeros esportes, não apenas um”, diz a professora de educação física.

Os benefícios da atividade física para crianças pequenas são muitos e já são comprovados por pesquisas. Conforme a pediatra, a atividade física para crianças de 0 a 4 anos melhora e mantêm o peso da criança, melhora as habilidades motoras, melhora o aprendizado e a atenção, melhora a pressão arterial e a resistência à insulina, melhora a composição óssea, além de promover a maior disposição e felicidade. “Portanto, a atividade física é importante para lactentes, crianças pré-escolares e escolares. Crianças não devem ficar paradas por períodos prolongados a não ser que estejam dormindo. Todos nós precisamos ser mais ativos e dar exemplo a elas”, completa.

 

Mais saúde ao seu filho, menos tempo em aparelhos eletrônicos

A pediatra Ana Paula alerta pais ou cuidadores das crianças para dois ensinamentos importantes que promovem a sua saúde e o bem-estar:

1-Toda a criança necessita de pelo menos 60 minutos de atividade física moderada à intensa todos os dias;
2- Criança não deve ficar mais de 2 horas do seu tempo por dia em aparelhos de televisão e ou eletrônicos (computador, jogos, internet), principalmente durante o dia.

Outra dica importante é acrescentada por Patrícia, que pede reflexão. “Às vezes, o pai insere a criança no esporte por alguma frustração sua, por exemplo, se o pai queria ter sido um grande jogador de futebol, agora ele quer que o filho seja, assim ele acaba cobrando muito dessa criança, e não pode, tem que deixar que ela desenvolva isso de forma natural, que pratique o esporte porque gosta”.

As atividades físicas recomendadas devem ser compostas por àquelas que deixam as crianças “sem fôlego”, ditas aeróbicas, tais como: andar de bicicleta, nadar, correr, jogar futebol, basquete, ballet. Certamente estas atividades físicas devem ser realizadas de maneira que as crianças se divirtam com elas.

Dados importantes e consistentes são mencionados pela pediatra. Crianças pré-escolares, de 0 a 4 anos de idade, devem se exercitar diariamente. O tempo diário recomendado é maior comparado às crianças escolares e aos adultos. O que muda é o tipo de atividade física e a intensidade do exercício que varia conforme a idade da criança. A recomendação atual é de pelo menos 3 horas durante o dia em atividades que variam de acordo com sua faixa etária:

1 ano: brincar ou rolar no chão, gatinhar, brincar com bolas ou outros brinquedos que sejam seguros para a idade. Deixar a criança explorar o ambiente e para isso promover um lugar seguro sob supervisão de adultos ou educadores;

1-4 anos: promover atividades que estimulam o movimento, como o caminhar, subir escadas, dançar, rastejar; brincar em lugares abertos para que se incentive o caminhar, o correr, subir obstáculos, pular.

A coordenação motora, noção espacial, trabalho cooperativo, a criança irá conseguir desenvolver na faixa etária dos 5 aos 7 anos, segundo a professora de educação física. Dos 8 aos 12 anos,ela já vai trabalhar um pouco mais de habilidade, resistência física. Dos 12 em diante, ela vai trabalhar força, isso tudo dentro da mesma modalidade. No decorrer do tempo, essa criança vai desenvolver outros aspectos até que atinja o grau competitivo, sendo o ideal dos 12 aos 15 anos em diante.

Quando a criança entra muito cedo em uma modalidade esportiva, segundo Patrícia, ela acaba, muitas vezes, antecipando a competição e consequentemente acelerando as aptidões de resistência, de força, e isso pode prejudicar muito o desenvolvimento dela. “Por isso, pai e mãe, é preciso ter consciência de como direcionar o seu filho, ver como é a metodologia de ensino da instituição que ele está ou será matriculado, para que isso não se torne um acometimento no progresso de crescimento do seu filho”, aconselha.

 

Como nós, adultos, podemos ajudar a criança a ser mais ativa:

1-Servindo como exemplo, sendo ativos quando estamos com as crianças;
2- Incluir atividades físicas em programas familiares;
3- Estimular a ida à escola caminhando ou de bicicleta;
4- Pensar em uma atividade física quando ouvir: “não tenho nada para fazer, estou entediado”;
5- Estar sempre preparado para realizar com a criança uma atividade física, tendo em casa ou no carro bolas, pipas, bicicleta, frisbees (disco de plástico que servem para jogar em rotação);
6- Encorajar a criança a trocar TV, computador e jogos eletrônicos por atividades esportivas;
7- Negociar tempo de utilização de computadores, TV e eletrônicos;
8- Trabalhar junto com a escola no aumento das atividades esportivas para as crianças;
9- Quando presentear a criança, comprar brinquedos que estimulem a atividade física como, por exemplo, bicicletas, skates, cordas, pipas, discos de plástico, etc.

Devemos respeitar a opção e preferência da criança, mas devemos estimula-la a conhecer várias modalidades esportivas para que ela mesma possa descobrir o seu esporte preferido e para que essa atividade se perpetue na vida adulta.

 

Por Kerlin S. Zimmer

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome