A tosse pode ser o primeiro indício de engasgo após a ingestão do corpo estranho

O engasgo pode acontecer em uma fração de segundos e isso é muito perigoso, especialmente, em crianças na faixa etária entre um e três anos de idade, período em que elas ainda não conseguem controlar a mastigação e deglutição de alimentos por falta dos dentes molares (dos fundos) que contribuem para a trituração dos alimentos. Embora o tema seja preocupante para as mães e pais inexperientes, é necessário estar preparado física e emocionalmente para saber agir rápido e utilizar as técnicas corretas para salvar a vida de uma criança.

De acordo com o médico pediatra Gilberto Saciloto, é necessário ter calma e observar o que realmente está acontecendo com a criança. “Há sempre um nível de ansiedade exagerado nesta relação. Falo isto porque, às vezes um pequeno ‘engasgo’, uma tosse mais prolongada ou mesmo o ritmo irregular do sono induz aos pais e adultos confundirem com apneia ou parada respiratória, realizando manobras bruscas que podem vir a machucar o bebe. Tomem cuidado, orientem-se”, alerta Gilberto.

 

Como saber quando a criança está engasgada?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, Corpo Estranho (CE) é qualquer objeto ou substância que inadvertidamente penetra o corpo ou suas cavidades. Pode ser ingerido ou colocado pela criança nas narinas e conduto auditivo, mas apresenta um risco maior quando é aspirado pelo pulmão. “Qualquer material pode se tornar um CE no sistema respiratório e a maior suspeita de que o acidente ocorreu é a situação de engasgo. Isto ocorre quando a criança está comendo ou quando está com um objeto na boca, habitualmente, são peças pequenas de brinquedos”, afirma o pediatra.

No Brasil, grãos como o milho, o feijão e o amendoim são mais comumente aspirados na faixa etária pediátrica. Por outro lado, o material mais relacionado a óbito imediato por asfixia é o sintético, como balões de borracha, estruturas esféricas, sólidas ou não, como bola de vidro e brinquedos, explica Gilberto.

A Aspiração de Corpo Estranho (ACE) é descrita principalmente nas crianças do sexo masculino, o que, segundo Gilberto, reflete uma natureza mais impulsiva e aventureira nos meninos. “Predomina na faixa etária pediátrica entre um e três anos de idade, com mais de 50% das aspirações, ocorrendo em crianças menores de quatro anos e mais de 94% antes dos sete anos. É na idade até três anos que a criança não controla a mastigação e a deglutição de alimentos, pois não possui os dentes molares, estrutura importante na trituração de alimentos sólidos”.

Por isso, a oferta de alguns tipos de alimentos a crianças pequenas, como amendoim, feijão, pipoca e milho, apresentam risco para a aspiração, pois as crianças vão degluti-los sem mastigar e qualquer distração, risada, brincadeira ou susto pode precipitar o acidente. Além disso, a criança nesta idade possui o hábito de levar objetos à boca, como pequenos brinquedos de plástico ou metal, normalmente de irmãos mais velhos.

“Logo após a aspiração de algum objeto, ocorre acesso de tosse, seguida de engasgo, que pode ou não ser valorizado pelos pais. A aspiração também deve ser considerada quando ocorre o primeiro quadro súbito de chiado no peito em crianças sem casos de alergia na família”, salienta o pediatra. Tosse persistente, chiado no peito, falta de ar súbita, rouquidão de lábios e unhas arroxeadas, são sinais sugestivos de que pode ter ocorrido a ACE.

 

Recomendações de prevenção

  • Não ofereça alimentos a crianças menores de quatro anos sem amassar e desfiar as fibras;
  • Não deixar pedaços de alimentos no prato, principalmente os arredondados;
  • Os seguintes alimentos são de risco potencial para a aspiração: sementes, amendoim, castanha, nozes, milho, feijão, pedaços de carne e queijo, uvas inteiras, salsicha, balas duras, pipoca, chicletes;
  • Mantenha os seguintes itens da casa, longe do alcance de crianças menores de quatro anos: balões, moedas, bolinha de gude, brinquedos com peças pequenas, bolas pequenas, botões, baterias esféricas de aparelhos eletrônicos e canetas com tampa removível.

O que fazer para prevenir o engasgo e aspiração segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria:

  • Estar ciente das manobras de desobstrução que você pode fazer;
  • Insistir para que as crianças comam à mesa, sentadas. Evite alimentá-las enquanto correm, andem brincam, estão rindo e não deixá-las deitar com alimento na boca;
  • Corte os alimentos em pedaços bem finos e ensine a criança a mastigá-los;
  • Supervisione sempre a alimentação de crianças pequenas;
  • Fique atento às crianças mais velhas. Muitos acidentes ocorrem quando irmãos ou irmãs mais velhas oferecem objetos ou alimentos perigosos para os menores;
  • Evite comprar brinquedos com partes pequenas e mantenha objetos pequenos da casa fora do alcance das crianças;
  • Siga a recomendação da embalagem, dos brinquedos, com relação à idade ideal para aquisição;
  • Não deixe crianças pequenas brincarem com moedas.

* Dados de Emilio Carlos Elias Baracat, da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome