Nem todos sabem quais suas causas ou como controlá-lo

 

Algumas pessoas são conhecidas pelo seu bom, ou mau humor. Esta energia contagiante pode ter várias causas e afeta de forma decisiva nas relações. Sua alteração ocorre devido a diversos fatores e, muitas vezes, nem ao menos sabemos o real motivo do nosso estado. Se você tem dúvidas sobre os altos e baixos do seu humor, chegou a hora de entender mais sobre ele.

De acordo com as psicólogas Luciane Becker e Joseane Lisenko, o humor consiste em estados emocionais duradouros, que influenciam os pensamentos e os comportamentos de uma pessoa, e é muitas vezes confundido com a definição de emoção.

Luciane explica que, antes de tudo, é necessário entender que “humor” se refere a um estado emocional que tende a durar por um longo prazo de tempo, como crises de ansiedade, depressão, transtorno bipolar, distimia e ciclotimia, enquanto as emoções geralmente são derivadas de estímulos externos e podem durar apenas por um curto período de tempo. “As alterações do humor podem se originar devido a experiências de estresse, vivências traumáticas, luto, insônia, estilo de vida, uso de substâncias abusivas, como drogas ou medicamentos, e também por alterações hormonais”, revela.

O humor precisa ser compreendido por vários aspectos, pois, segundo Luciane, as experiências e os sintomas variam muito de pessoa para pessoa, e pode ser influenciado por uma interação de fatores biológicos, sociais, culturais e psicológicos. “Um indivíduo que passa por uma experiência traumática ou por um luto pode desencadear um transtorno de humor, enquanto o outro pode apenas apresentar fortes emoções”, observa a profissional.

 

 Como controlá-lo? 

Segundo Joseane, não conseguimos manter um “bom” humor o tempo todo. Novos acontecimentos podem fazer o nosso humor mudar, o que é perfeitamente aceitável. No entanto, manter-nos em estados de humor deprimido por grandes períodos de tempo é um alerta para algum transtorno psicológico como ansiedade e depressão, por exemplo.

“É indispensável a busca por ajuda profissional quando se percebe uma grande variação do humor, como um psicólogo que buscará trabalhar com o paciente as questões desencadeadoras da oscilação do humor, afim de encontrar a melhor forma para lidar com isso”, afirma a psicóloga.

Joseane lembra ainda que o humor tem muita influência no dia a dia das pessoas, e afetam diretamente na forma como pensamos e agimos frente ao mundo.  “Algumas dicas para melhorar o humor incluem: ter uma boa noite de sono, prática de exercícios físicos, uma boa alimentação, ter um hobbie, sair com amigos e fazer aquilo que gosta”, indica a profissional. “Mas quando o rebaixamento de humor envolve questões internas, a pessoa deve procurar ajuda psicológica e médica para que juntos encontrem o fator desencadeante e busquem uma solução para tal conflito”, complementa.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome