Quando percebemos que não conseguimos mais lidar com nossas dificuldades e que precisamos de ajuda, a saída pode estar na psicoterapia

 

Tudo começou há cerca de 100 anos, quando o médico austríaco Sigmund Freud, criador da psicanálise, constatou que o fato de ouvir seus pacientes ajudava-os a encontrar alívio para diversos tipos de problemas emocionais. De lá pra cá, desenvolveu-se então várias teorias que se propõe a curar ou ao menos minimizar os males da alma, através da relação de ajuda que se estabelece entre o terapeuta e o paciente.

Conduzida por um profissional especializado, a psicoterapia visa o mais profundo bem-estar do paciente, com uma série de técnicas para tratar da saúde mental e emocional.  Os tratamentos ajudam os pacientes a se conhecer melhor, a conhecer o que os deixa ansiosos ou insatisfeitos, e também a aceitar seus pontos positivos e negativos.

De acordo com a psicóloga Maria Eni Mattos, a psicoterapia pode ser definida como um recurso que ajuda o ser humano a lidar com as dificuldades de sua existência e quaisquer tipos de sofrimento, como transtornos psicopatológicos, crises pessoais, conflitos conjugais, familiares, crises profissionais, dificuldades de transição de vida, entre outros.

A função da psicoterapia, conforme Maria Eni, é dar apoio à pessoa, ajudando-a a ver as diversas situações que acontecem em sua vida de forma mais clara e nítida, e buscando habilidades que o ajudem a enfrentar as adversidades. “Desse modo, a técnica é um processo de mudança, de solução dos problemas causados pela falta de adaptação frente às dificuldades da vida, de aprendizado, de reflexão e análise para tentar viver melhor”, explica.

A psicóloga ainda ressalta que não é dever da psicoterapia dizer ao paciente o que ele tem, e o que ele deve fazer, como um guia passo a passo. “O trabalho da psicoterapia é fazer uma construção conjunta de conhecimentos sobre o paciente, porque ninguém sabe mais de sua vida, de sua vivência, de suas experiências, de seus sofrimentos, de suas alegrias, do que ele mesmo. Esses conhecimentos que são resgatados e reproduzidos na sessão de psicoterapia, e o resultado do tratamento, devem levar o paciente a uma mudança, a um estilo de vida mais sadio”, completa.

Segundo a profissional, existem vários tipos de psicoterapia, porém todas tem o mesmo objetivo: diminuir ou retirar um problema, queixa ou transtorno, trazido pelo paciente que procura ajuda. O tempo de duração da psicoterapia varia de semanas até anos, pois depende da abordagem usada e dos objetivos buscados pelo indivíduo.

 

A psicoterapia pode ser usada para fins diversos, como:

  • Resolução de conflitos pessoais, interpessoais, conjugais, familiares e profissionais;
  • Amadurecimento pessoal para um autoconhecimento, reflexão e descobertas de novos modos de conduzir a própria vida;
  • Crises existenciais;
  • Sofrimento causado por perdas (luto), com dificuldade em resolver suas questões e situações sozinhas;
  • Situações de risco, abuso, acidentes ou situações traumáticas;
  •  Depressão, medos, síndrome do pânico, fobias, ansiedade, bulimia, anorexia, tiques e manias;
  • Problemas emocionais relacionados a estresse;
  • Baixa autoestima – sentimento de inferioridade, tristeza e ansiedade constante;
  • Agressividade, insônia, insegurança, irritação em demasia, frustração;
  •  Ciúme excessivo,
  • Obesidade e outros sintomas físicos sem justificativa aparente;
  • Dificuldades escolares;
  • Mudanças de fase da vida (puberdade, adolescência, vida adulta, menopausa, envelhecimento, aposentadoria);
  • Questões relacionadas à educação dos filhos.

 

Por Camila Neumann

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome