A respiração correta é uma das alternativas para aliviar o mal do século 

Ansiedade, estresse e esgotamento são termos de uso frequente na vida moderna e, devido a presença constante com que aparecem em nosso discurso cotidiano, ninguém gosta de pensar neles como forma de algum transtorno emocional, é claro.

Quando o assunto é estresse, é importante ressaltar que cada pessoa vai reagir aos sintomas de forma diferente. Segundo a Psicóloga Lucilene Zavadzki Hino, os sintomas do estresse podem ser compreendidos sob diferentes aspectos, por exemplo:

Sintomas cognitivos:

  • Pensamento acelerado e com tendência ao pessimismo;
  •  Dificuldades com a memória e concentração.

Emocionais:

  • Irritabilidade, impaciência;
  • Oscilações no humor;
  • Dificuldades para relaxar.

Sintomas físicos:

  • Batimento cardíaco acelerado;
  • Sudorese;
  • Dores abdominais e problemas gastrointestinais.

A pessoa pode apresentar também mudanças comportamentais, de acordo com a psicóloga, como tendência ao isolamento, agitação motora, mudanças nos hábitos alimentares, entre outros.

Segundo a psicóloga, a constante situação de estresse vivenciada por uma pessoa pode desencadear tanto doenças psíquicas quanto físicas, como, por exemplo, a depressão e a ansiedade. “O paciente pode ter compulsões alimentares que se encaminham para o desenvolvimento dos transtornos alimentares, problemas cardiovasculares, dores de cabeça, hipertensão, insônia. Também podemos incluir as doenças relacionadas à parte gastrointestinal, crises de asma e doenças da pele, como a psoríase”, lembra Lucilene.

A respiração pode ajudar nos momentos de estresse

 

          A respiração está intimamente ligada com nosso sistema nervoso e estado emocional. Conforme a professora de Yoga, Mariel Laura Roldán, ambos podem ser diretamente alterados com uma respiração mais tranquila e consciente. O estresse, sinônimo de excesso de preocupações seguido da famosa sensação de “falta de tempo”, pode ser aliviado e até curado totalmente com a prática da meditação, como por exemplo, parando 5 minutos diariamente para observar profundamente a sua respiração.

          Segundo Mariel, a melhor forma de respirar pode ser observada na respiração natural dos bebês, que inspiram e expiram sempre pelo nariz, utilizando o diafragma, isto é, a parte baixa do abdome. “A inteligência nata do nosso organismo, assim como a de já nascer com a capacidade de respirar corretamente, é na maioria das vezes esquecida ou comprometida, devido a problemas emocionais, uma alimentação errada e vícios, como o cigarro, álcool, entre outros”, diz.

Aprenda a respirar conscientemente

          “Deite confortavelmente e coloque as mãos sobre seu abdome, inspire profundamente pelo nariz expandindo o abdome para cima, solte o ar lentamente pelo nariz, levando o abdome suavemente a sua posição normal. Repita a técnica várias vezes. Você também pode incorporar um ritmo a sua respiração, por exemplo: conte 4 segundos ao inspirar, e 6 segundos ao exalar”, diz a profissional de yoga.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome