Saiba como funciona a técnica que permite aos psicólogos determinar características pessoais

A prática da avaliação psicológica é tão antiga quanto a história da humanidade. Pesquisadores e historiadores relatam que desde 3.000 a.C. na China eram utilizados testes para selecionar funcionários civis, e na idade média as universidades europeias também utilizavam exames psicológicos para conceder títulos e honrarias. Com o passar do tempo, os métodos utilizados para avaliar os aspectos psicológicos das pessoas foram se modificando e aperfeiçoando.

Mas afinal, o que é avaliação psicológica? De acordo com a psicóloga Maria Adriane Messias Kulka, a avaliação é, de forma geral, um conjunto de técnicas e procedimentos que tem o objetivo de verificar determinadas características psicológicas de uma pessoa, através da observação do seu comportamento em situações pré-definidas.

Conforme Maria, o psicólogo é o único profissional habilitado por lei para exercer esta função, pois é ele quem possui as condições necessárias de avaliar o indivíduo dentro de seu conhecimento acerca do comportamento humano. “O psicólogo também, nas avaliações psicológicas, deve obedecer as questões éticas, o respeito ao ser humano, o sigilo das informações e o compromisso com a preservação da integridade do indivíduo”, acentua.

A avaliação psicológica, segundo a profissional, serve para demonstrar diferentes aspectos do comportamento de uma pessoa, tais como: interesses, atitudes, aptidões, desenvolvimento e maturidade, condições emocionais e de conduta, e personalidade em geral. “As avaliações psicológicas também podem demonstrar as reações do indivíduo frente a determinados estímulos e situações espontâneas ou previamente planejadas”, explica.

De acordo com a psicóloga, o processo da avaliação envolve vários procedimentos, como entrevistas, observações, testes, dinâmicas de grupo, análise documental, observação lúdica, provas situacionais e outros instrumentos. O psicólogo é quem estipula o número de sessões necessárias para a conclusão da avaliação, dependendo de cada caso.

Atualmente, a avaliação psicológica pode ser utilizada em vários contextos, como para a área da saúde, jurídica, organizacional, educação e segurança. “Na área de saúde, ela pode ser usada em vários procedimentos e tratamentos, tais como: avaliação para cirurgia bariátrica, laqueadura, vasectomia; transexualismo, cirurgias plásticas, entre outras. Ela também pode ser utilizada para comprovação de hipóteses diagnósticas e prognósticos de comportamentos”, explica a psicóloga.

Na área de educação, o seu uso é interessante em vários aspectos como: alfabetização da criança, aptidões e potencialidades dos alunos, orientação escolar e aconselhamento psicológico de alunos, acompanhamento do nível de desenvolvimento mental e emocional, ensino especial, problemas de aprendizagem e comportamento,  transtornos como déficit de atenção e hiperatividade/impulsividade, autismo, dislexia, déficit intelectual, entre outros.

Após a avaliação psicológica podem ser emitidos documentos legais, como laudo psicológico (relatório), parecer psicológico, atestado psicológico e declarações.

 

Por Camila Neumann

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome