Sintomas da Vida Moderna.

A imensa busca pela felicidade. A vida atual permite uma vida feliz?

O homem vive uma das fases mais espetaculares da sua existência em que a valorização da felicidade e do dinheiro são as buscas maiores da raça humana. O homo sapiens se confundiu muitas vezes na sua história e a filosofia teve que despertá-lo. Foi assim que Descartes e Kant tiveram idéias e pensamentos fantásticos, e individualmente constataram que a sabedoria e o sentido ético da vida nunca poderão ser esquecidos e devem ser mantidos durante o caminhar da humanidade no planeta terra.

Vivemos hoje o sonho do homem esperto onde a imagem do Super Homem, criado por Friedrich Nietzsche, tem confundido a cabeça de uma boa parte da população mundial, pois o Super Homem criado pela ciência não consegue trabalhar e amenizar os conflitos existenciais da raça humana. É preciso achar uma solução urgente e imediata para esse conflito sob pena do próprio homem retroceder e empacar no tempo.

Por sintomas da vida moderna entendemos que o estresse é hoje o termômetro que avassala e solapa, produz cansaço, esquecimentos, irritação, torna o homem agitado e deprimido. O homem moderno trabalha muito, dorme pouco, se alimenta mal e compulsivamente, respira poluentes e recebe cargas potentes de xenoestrógenos, colocando esse ser em diversas rotas: com baixa de imunidades, sujeito a infecções, reumatismos, alergias, os mais variados tipos de cânceres, obesidade. Homens e mulheres tem baixo auto-estima, mudando o conceito sobre os seus valores, dando maior importância às embalagens do que ao conteúdo.

Esta gama de sintomas terá que ser combatida com a modulação e nivelamento dos hormônios, pois o estresse é um desastre para a saúde. O homem moderno está envelhecendo muito rápido, em que a menopausa, andropausa e tireopausa são precoces, fadiga adrenal pela baixa do Dhea do cortisol levando a uma baixa de energia e na vitalidade, ocasionando um empobrecimento geral da qualidade de vida e aceleração do envelhecimento humano.

Qual é o melhor investimento que o homem pode fazer na sua vida? Bolsa de valores, imóveis, poupança? Já temos a resposta. O melhor investimento que o homem pode fazer é investir na sua saúde e em si mesmo. O dinheiro é importante, mas é um bem menor. O homem necessita urgentemente se conhecer melhor, fazendo exames, check-ups, usando o dinheiro em prol da sua saúde. Existem pessoas que nunca mediram a pressão arterial, podem estar diabéticos, por exemplo, e não saberem de tal fato e por isso estarem na rota para infarto e derrame. O homem moderno sofre como nunca na sua história de uma grande falta de energia, porque o cortisol, pelo alto nível de estresse, provoca muito cansaço e bloqueia a ação de melatonina e outros hormônios, produzindo insônia e o despertar mais cansado como se o sono não lhe restaurasse a energia para um bom despertar no dia seguinte.

Conta a lenda que a felicidade estava triste por ser desvalorizada e mal interpretada, pois o dinheiro estava com a bola toda e recebendo para si plena e total valorização como o mais importante fator existencial. Indignada a felicidade decidiu fazer uma reunião em que estavam presentes os senhores mais poderosos da terra e também os mais ricos, a juventude, os principais atores do cinema, um grande cientista e a presença da sua majestade dinheiro.

Sintomas da Vida Moderna - Felicidade

Iniciou a reunião com a manifestação dos dois seres mais poderosos da terra que assim se expressaram: “nós viemos aqui para aprisioná-la”. A felicidade responde: “há um engano, não sou aprisionável”, desmoronam-se os poderosos porque não podem aprisioná-la. Apresentam-se agora os dois mais ricos da terra que se expressam: “somos os mais ricos do planeta terra e viemos aqui para comprá-la”. “Há um engano, não estou à venda e nunca serei comprada”, responde a felicidade, derrubando os dois mais ricos. Então, levantaram-se e tomaram a palavra os dois atores mais importantes do cinema e falaram: “somos os atores mais famosos e celebres do cinema e gostaríamos de convidá-la para mostrar quem é você nos palcos da existência”. A felicidade diz: “tem um problema não gosto de aparecer, gosto de ficar no meu cantinho, não sou dada a aplausos”, confundindo os dois artistas. Levantaram-se durante a reunião dois jovens representando a juventude e se expressaram: “felicidade você nos pertence, pois juventude lembra e é aliada a felicidade”. Responde a felicidade: “há controvérsias, vocês jovens estão muito ligados aos prazeres imediatos da vida, eu pertenço e sou degustada parcimoniosamente”. Nesse instante bate a porta e adentra a reunião um senhor idoso de guarda pó, óculos, um pouco calvo, que assim se expressa: “Dona felicidade vim conhecê-la e gostaria de produzi-la em laboratório”. A felicidade responde: “há um problema senhor cientista, eu cresço no meio dos humanos e gosto do cheiro de gente, portanto, não há condições de me reproduzir em laboratório”. Nessa altura o dinheiro está encolhido na sua poltrona com tantas surpresas e controvérsias a respeito da felicidade e a si próprio. A felicidade, então, aponta o dedo para ele e assim se expressa: “dinheiro, o dia que você for utilizado para construir escolas, moradias, hospitais, então poderemos cavalgar na mesma cela, pois eu (felicidade) sou doidinha por um lar, há uma família a minha espera, a escola pelo saber me encontrará e a saúde combate a morte, promovendo a vida”, finalizando: “portanto, senhor dinheiro, o dia que você for utilizado para o ter mas em busca do ser, nos abraçaremos e viveremos felizes. Sou um subproduto das interações das forças do ter e do ser, sou a raspa do tacho, aquilo que é filtrado e é bom, no cadinho da existência, eu sou a felicidade”.

Assim pensando e agindo é bem provável que os seres humanos encontrem o pote de ouro no final do arco-íris, é isso que rezam os contos de fada e as canções de ninar que nos embalaram quando crianças nos braços de nossos pais. Sonhe leitor e se deixe levar, pois os sonhos são alimentos da alma sofrida da espécie humana e a felicidade não é duradoura e permanente, vivemos-a por momentos neste extraordinário e maravilhoso palco da existência.

Acreditamos que ciência e fé são muito íntimas, podem ser caducas ou cegas, mas se complementam. Quem busca encontra, quem pede recebe e a quem bate se abrirá (Mt 7,8).

 Por Dr. Edson C. Crema – Cardiologista

 

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome