A nova onda está dominando o mercado e fazendo novos adeptos a cada dia

 

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Paraná está em 13º lugar no ranking nacional de produção de pimenta. Só nos últimos 10 anos a produção cresceu cerca de 200%. Mas não foi só isso que mudou, o consumo da pimenta, antes realizada in natura ou através de industrialização, ganha novos ares e adeptos com o surgimento das pimentas artesanais. Acompanhando o crescimento das cervejas e hambúrgueres artesanais, essas pimentas tem feito sucesso e conquistado uma grande fatia do mercado, fez até com que surgisse um novo ramo profissional: o dos pimenteiros.

Caso do pimenteiro Elodir José Klein, há quase dois anos largou a vida de publicitário para abrir uma fábrica de pimentas artesanais. Hoje, possui dez receitas para comércio e outras três em fase de teste final. Para ele, há uma grande diferença entre uma pimenta industrializada e uma pimenta artesanal. “A diferença principal é que as pimentas industrializadas utilizam ingredientes que podem não ser bons para saúde, como o glutamato monossódico, que pode causar enxaqueca até em crianças – segundo pesquisas científicas – Eles colocam isso para ressaltar o sabor, cor, aroma entre outros produtos. Já o molho artesanal não leva nada disso, porque tudo que você sente de aroma e sabor em um frasco de pimenta artesanal é puramente o que é – natural e gostoso”, afirma Elodir.

Os molhos de pimentas artesanais veganos possuem outros ingredientes que tornam cada receita única e saborosa. “Usamos muito o manjericão, salsinha, o orégano, louro, açafrão, cebola roxa, o alho, açúcar mascavo entre outros. São condimentos que apuram o sabor, deixam ele mais evidente e, claro, que a junção deles faz bem à saúde. Eles proporcionam a natureza do bem-estar”, ressalta o pimenteiro.

Benefícios da pimenta para saúde:

  • Tem efeito antioxidante;
  • Auxilia na digestão;
  • Acelera o metabolismo;
  • Ajuda no emagrecimento;
  • Controla o colesterol;
  • Previne o câncer;
  • Combate o diabetes;
  • Auxilia o sistema circulatório;
  • Afasta a depressão e alivia a dor;
  • Possui ação anti-inflamatória.

As pimentas mais consumidas no Brasil são a dedo de moça e a malagueta. Já para produção de pimentas artesanais, o pimenteiro se torna artista e pode se aventurar nas diversas variedades do produto. Elodir, por exemplo, utiliza as mexicanas Jalapeño e Habanero Red, a cubana Habanero Yellow e uma pimenta vinda da agricultura familiar, a peruana Aji Red. As fábricas de pimentas guarapuavanas estão se especializando em produtos de alto padrão. E o público está crescendo e pedindo, cada dia, mais variedades nas receitas. “O perfil do nosso cliente é de pessoas que buscam alimentos saudáveis, naturais, com sabor inusitado, de alto padrão e que acompanhe os pratos que essas mesmas pessoas preparam em casa ou que seja preparado de modo mais artesanal”.

Além dos benefícios para a saúde, o consumo de pimentas artesanais tem constituído uma filosofia de vida. Segundo Klein, a pimenta agrega sabor aos pratos, mas, também, o hábito de cultivar alegrias diárias. “Se você coloca um molho de pimenta artesanal com ovo frito, arroz com feijão ou com um prato mais elaborado, esses molhos deixam o prato mais gostoso, agrega aroma, sabor, é especial. Acredito que, além disso, tem o aspecto da felicidade que a pimenta proporciona – quem come pimenta é mais feliz”.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome