Saber regular as quantidades e escolher bem o que comer faz muita diferença no resultado final

Entrevistada: Mireille Gartner Maroso

“Não desista, é normal ter altos e baixos.”

 

Mais Saúde: Qual foi o momento que você decidiu mudar?

Mireille: O momento da mudança foi quando eu parei de trabalhar e acabei ficando um pouco depressiva. Eu era habituada a trabalhar com metas e objetivos bem definidos e de repente isso faltou na minha vida. Eu precisava de um novo desafio e já estava insatisfeita com o meu corpo, querendo emagrecer. Então uma amiga me chamou para correr e caminhar com ela. Aceitei, mas era assustador ver o quanto eu não estava preparada. No início não tinha força para correr. Mas ela incentivava muito e continuei. Passei 6 meses me exercitando sem fazer dieta e vi que não estava emagrecendo, foi aí que resolvi mudar minha alimentação.

 

Mais saúde: E como foi a mudança dos seus hábitos alimentares?

Mireille: Primeiro eu inventei uma dieta maluca. Até emagreci… mas com muito sofrimento. Ficava nervosa, mal humorada, fraca, com dores de cabeça e de estômago. Daí passava tanta fome que de repente, eu me descontrolava e comia um monte de coisa. Até que percebi que eu precisava de uma nutricionista. E isso fez toda diferença. Descobri que não precisa passar fome para emagrecer, apenas regular as quantidades e escolher bem.

 

Mais Saúde: Em quanto tempo você atingiu seu objetivo de peso e se acostumou ao novo estilo de vida?

Mireille: O peso, aproximadamente 1 ano. O processo total, 3 anos. E tive altos e baixos. Uma mudança dessas não acontece num passe de mágica. Pensei em desistir algumas vezes. Tive uma fase bem complicada, que foi depois de atingir o peso que eu queria. Entrei numa neurose, não comia um grama a mais do que a nutricionista tinha prescrito porque tinha muito medo de engordar. Tinha medo de encarar uma festinha de aniversário, o medo de não resistir estava sempre comigo. Até eu estar totalmente habituada com esse novo estilo de vida, foram 3 anos. Agora tudo flui naturalmente, mas esse não é um processo rápido.

 

Mais Saúde: Com quais profissionais você contou para essa transformação?

Mireille: Contei com Nutricionistas e profissionais de Educação Física. Todos foram muito importantes. O legal desse acompanhamento é que eles podem ir adaptando a sua dieta e o treino, porque em algum momento o corpo se acostuma e você sente que estagnou. Mas eles ajudam a contornar isso. Também é importante ter amigos que te apoiem nessa jornada. Alguém que pratique com você tem um impacto muito positivo.

 

Mais Saúde: Já que ninguém é de ferro, você tem o dia do lixo?

Mireille: Não. Eu tenho uma refeição livre por semana. Sigo o cardápio da nutricionista e posso escolher uma refeição para comer algo que eu esteja com vontade. Depois que a dieta saudável vira hábito, não temos mais esta necessidade de comer besteira o tempo todo, mas até chegar neste patamar eu demorei muito, e tive várias recaídas.

 

Mais saúde: Sofreu preconceito antes de emagrecer? Ou depois?

Mireille: Sofri depois. Teve muita gente falando que eu estava magra demais, que estava com cara de doente. Apesar de receber elogios, recebi críticas. Quando você está gordinha, ninguém te fala nada achando que vai ofender. Mas ofende igualmente receber críticas por ter emagrecido.

 

Mais Saúde: Qual dica você dá para quem quer emagrecer?

Mireille: Não vá atrás de dietas milagrosas e remédios. A gente emagrece rápido e engorda rápido. As recaídas são maiores quando a dieta é um sofrimento. Quando você aceita a realidade e descobre que dá para se alimentar bem e emagrecer, fica mais prazeroso.

 

Mais Saúde: Qual é o maior inimigo dessa reeducação?

Mireille: Bem, não recomendo se comparar demais a outras pessoas que tenham o biotipo dos sonhos e nem com modelos de revista. E um cuidado especial com redes sociais, lá todo mundo é perfeito. Mas não é bem assim. Eu transformei a minha alimentação e rotina de exercícios e não fiquei perfeita. Essa ideia de perfeição só atrapalha.

 

Mais Saúde: Como é sua rotina de treinos hoje?

Mireille: Faço treinos de corrida 4 vezes por semana e musculação. Correr para mim virou uma terapia. Coisa que eu nunca imaginava que conseguiria. A corrida de montanha é minha favorita, com muitas subidas e trilhas.

 

Mais Saúde: Qual momento você considera de maior superação nessa nova fase?

Mireille: Ano passado quando participei da minha primeira Corrida de Montanha. Corri 20 km, por 3,5 horas e subi 800 metros, entre trilhas fechadas, com chuva, vento e muito barro.  Eu estava treinando muito para isso, mas tinha medo, pois nunca tinha passado por nada parecido. Foi uma quebra de paradigma para mim! Eu era uma pessoa totalmente sedentária. Quando comecei a correr, achava que ia morrer de cansaço. E participar de uma prova dessas e terminar o desafio, para mim foi incrível. E eu sei como eu era e digo: se eu consegui, outros também conseguem.

 

Mais Saúde: Qual mensagem você daria para quem quer emagrecer e passar a se exercitar?

Mireille: Não desista, é normal ter altos e baixos. É demorado sim, ao menos para mim foi! Mas tudo acaba entrando na rotina e virando hábito. Mas tem que se comprometer e ter disciplina.

 

Conte pra nós sobre alguns números:

  • Altura: 1,68m
  • Peso antes: 80 kg
  • Peso depois: 62 kg
  • % de gordura antes: 35%
  • % de gordura depois: 16%
  • % de massa magra antes: 47%
  • % de massa magra depois: 52%

 


RECEITA

Pão Integral

Ingredientes

  • 1 kg de farinha de trigo integral fina Especialíssima
  • 3 colheres (sopa) de açúcar
  • 2 colheres (sopa) de sal
  • 4 tabletes (10g cada) de fermento biológico fresco
  • 3 xícaras de água morna (ou até dar ponto)

Modo de preparo

Reserve em um recipiente a farinha de trigo integral fina Especialíssima. Em seguida, adicione o fermento fresco e os outros ingredientes. Adicione a água morna aos poucos, sovando a massa até que fique homogênea. Cubra a massa com um plástico filme e deixe descansar em temperatura ambiente por cerda de 2 horas. Divida a massa em duas porções e modele os pães. Coloque-os em formas untadas com óleo ou margarina. Deixe os pães em repouso até dobrarem de tamanho. Asse na temperatura de 160ºC por 25 minutos.

  • Rendimento: 2 pães grandes
  • Tempo de preparo: 40 minutos.

 

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome