Um hábito alimentar saudável contribui para prevenir vários tipos de tumor

          Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer é a segunda maior causa de morte por doença no Brasil, perdendo apenas para as doenças cardiovasculares. Estudos científicos já revelaram que três em cada dez casos da doença poderiam ser evitados se as pessoas mudassem seus hábitos. Isso inclui parar de fumar, fazer exercícios físicos e, especialmente, aderir a uma alimentação saudável e equilibrada que ajude a prevenir esse mal.

 

O que evitar

Segundo a nutricionista Alana C. B. Lehn, a alimentação pode tanto prevenir o câncer quanto causá-lo. De acordo com ela, existem alimentos que contêm níveis significativos de substâncias cancerígenas. São alguns deles: os nitritos e nitratos usados para conservar alguns tipos de alimentos, como: picles, salsichas, e enlatados em geral; alimentos defumados e churrascos que são impregnados por uma substância proveniente da fumaça do carvão, a mesma encontrada na fumaça do cigarro e que também possui ação carcinogênica; e alimentos preservados em sal, como charque e peixes salgados.

Conforme Alana, alguns tipos de alimentos, se consumidos regularmente durante longos períodos de tempo podem fornecer o tipo de ambiente que uma célula cancerosa necessita para crescer, se multiplicar e se disseminar. Estes devem ser ingeridos com moderação, e neste grupo estão incluídos vários alimentos ricos em gordura, tais como carnes vermelhas, frituras, bacon, presuntos, salsichas, linguiças, refrigerantes, entre outros.

Uma alimentação pobre em fibras, com altos teores de gorduras e altos níveis calóricos, conforme alerta a nutricionista, está relacionada a um maior risco para o desenvolvimento de câncer de cólon e de reto, assim como a alteração dos níveis de hormônio no sangue, que aumentam o risco de canceres de mama e próstata.

O tipo de preparo do alimento também influencia no risco de câncer. “Usar menos sal na hora de fazer a comida e aumentar o uso de temperos como azeite de oliva, alho e cebola é uma forma de minimizar os riscos. E ao preparar carnes, o cozimento, deve ser priorizado, por ser uma escolha mais saudável, assim como vapor, fervura, pochê, ensopado, guisado ou assado”, aconselha.

 

Menu anticâncer

Alguns alimentos são indispensáveis em qualquer dieta considerada saudável, segundo a nutricionista, e algumas mudanças nos hábitos alimentares podem ajudar a reduzir não só os riscos de câncer, mas também de doenças cardíacas, obesidade e outras enfermidades crônicas como diabetes.

Conforme Alana, frutas, verduras, legumes e cereais integrais contêm nutrientes, tais como vitaminas, minerais e fibras, que possuem ação antioxidante a qual auxilia as defesas naturais do corpo a destruírem os carcinógenos antes que eles causem sérios danos às células. “Esses tipos de alimentos também podem bloquear ou reverter os estágios iniciais do processo de carcinogênese e, portanto, devem ser consumidos com frequência”, alerta.

De acordo com a nutricionista, os alimentos funcionais ou neutracêuticos possuem um alto potencial para reduzir o risco do desenvolvimento do câncer. Esses alimentos além de nutrir e saciar a fome, afetar beneficamente uma ou mais funções do organismo, também são capazes de inibir a proliferação celular e induzir a morte de células cancerosas. “Os efeitos dos alimentos funcionais só são obtidos através do consumo regular de quantidades normalmente ingeridas na dieta”, completa.

 

Na tabela abaixo, fornecida pela nutricionista, temos alguns exemplos de alimentos funcionais que possuem substâncias nutracêuticas, isto é, substâncias com evidente efeito benéfico à saúde, e suas fontes alimentares.

Tabela-Alimentos-Cancer-para-Web (1)

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome