A obesidade é um dos grandes problemas de saúde pública no Brasil e no mundo

Segundo dados do Ministério da Saúde, mais de 55% da população adulta está acima do peso e 19% apresenta obesidade crônica, o que desencadeia complicações metabólicas, doenças cardiovasculares, diabetes, além de dores na coluna, joelhos ou tornozelos. A má alimentação e o sedentarismo são dois dos fatores que mais contribuem para a obesidade.

De acordo com a biomédica Maiara Massiroli (CRBM-6 1388), mudar de hábito é um grande desafio, especialmente se ele está bem consolidado. Mas, por outro lado, se olharmos diante do espelho, todos nós somos capazes de identificar um hábito que gostaríamos de mudar. “Muitas vezes, nós começamos bem, mas depois de pouco tempo voltamos a fazer a mesma coisa. A boa notícia é que existem métodos eficazes para mudar um hábito. Às vezes o que fracassa não é a sua vontade, mas a estratégia. Logicamente isso requer esforços e perseverança, mas sem um método adequado, é muito mais difícil conseguir esse objetivo de mudar”, salienta a profissional, que destaca a dificuldade no início e, por isso, é necessário:

1 – Buscar ajuda de profissionais para caminhar lado a lado com você durante esse processo, te orientando e apoiando;

2 – Comprometer-se, pois é preciso uma dedicação de 100% na mudança e saber que ela só depende de você;

3 – Buscar o ambiente ideal, com uma atmosfera agradável, o que se reflete em mais calma na hora das refeições e controle diante do prato.

10 dicas para mudar os hábitos alimentares

1- Beba água: apesar de saber que água é importante, será que o volume de água que você consome é o suficiente para a necessidade do seu corpo? Para calcular a quantidade ideal basta multiplicar seu peso por 35. Por exemplo, vamos supor que você pesa 70 kg, então 70 X 35 = 2450, ou seja, você deve consumir 2L e 450mL de água ao longo do dia. Quem tem dificuldade de beber água vale a pena apostar em águas aromatizadas que caem muito bem neste verão;

2- Mastigue bem os alimentos: preste atenção na mastigação e saboreie bem os alimentos. Pessoas que comem devagar normalmente consomem 30% menos comida que as pessoas que comem em menos de 10 minutos;

3- Coma colorido: o ideal é que nossa alimentação seja bem colorida. Quanto mais variado, mais nutrientes. Então tente consumir as cores: verde, vermelho, laranja, amarelo, branco, preto e roxo;

4- Evite fazer compras com fome: vá ao supermercado depois de fazer uma refeição e estar saciado. Quando estamos satisfeitos tendemos a comprar somente aquilo que é necessário e evitamos comprar besteiras. Quando estamos com fome acabamos cedendo às tentações e compramos tranqueiras, principalmente aquelas que é só abrir e comer como biscoitos, salgadinhos e chocolate;

5- Planeje sua alimentação: que tal já começar a semana sabendo o que vai comer? Uma boa opção é montar marmitas saudáveis no final de semana para consumir durante os dias, assim quando chegar em casa do trabalho você não corre o risco de comer lanches e pedir delivery;

6- Não tenha preguiça: quando bater aquela vontade no meio da semana de comer um lanche ou uma pizza porque está com preguiça de cozinhar, pense em fazer alguma coisa prática como uma omelete ou uma salada e sempre pense na recompensa de vida “quem eu quero ser no futuro?” Se visualize lá e planeje metas para isso;

7- Controle as quantidades: não é porque uma receita ou um alimento é saudável que podemos comer à vontade! O ideal é comer até ficar saciada e não estufada! Tente trabalhar este lado da saciedade em você;

8- Não repita o prato: normalmente quando a comida está boa a gente sempre quer repetir o prato, mas será que é necessário? Tente reconhecer a sua fome, será que você quer repetir porque ainda está com fome? O que você comeu não foi suficiente? Normalmente o segundo prato é pura gula e se trata de uma fome psicológica;

9- Não beba líquidos durante as refeições: o ideal é mastigar bem os alimentos e engolir sem empurrá-los com alguma bebida. Pessoas que precisam beber algum líquido durante a refeição, normalmente são pessoas que não estão mastigando bem os alimentos. Além disso, o ideal é se manter bem hidratado entre as refeições e não matar a sede enquanto come;

10- Reduza o consumo de açúcar e adoçantes: tente focar no açúcar natural dos alimentos, suco, chá e café não devem ser adoçados. A boa notícia é que nosso paladar se adapta aos sabores, a primeira vez que você tomar café puro pode até achar ruim sem açúcar ou adoçante, mas com o tempo você vai se acostumando com o sabor e passa a gostar.

Edição Digital Grátis!
Assine nossa newsletter
Baixe a edição digital da revista gratuitamente e receba as próximas edições, promoções e conteúdos exclusivos em seu e-mail.
CADASTRAR
Não enviamos spam e você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor informe seu nome